Chegou o momento de questionar as convicções de Fabio Carille?

Gazeta Press
Gazeta Press

Não precisa ser fácil, mas necessariamente precisa ser tão sofrido assim?


Antes de mais nada, quero deixar muito claro que sou um dos maiores fãs do trabalho de Fabio Carille, um profissional extremamente competente, que calou todos os críticos que o questionavam quando o mesmo foi efetivado como treinador do Corinthians. O primeiro turno feito por sua equipe merece respeito e notoriedade, foi algo histórico, único e chocante, fazendo com que o líder do Campeonato Brasileiro se tornasse favorito ao título antecipadamente de uma forma nunca vista anteriormente.


Porém, quando analisamos friamente o futebol e o presente, precisamos apontar os equívocos enxergados, e parece que Fabio Carille pode possuir os mesmos defeitos que seu mentor Tite possuía em nos tempos de Timão. A meritocracia (ou insistência, entenda como quiser) com alguns atletas da equipe titular começam a deixar os torcedores de cabelo em pé. Como que Romero pode seguir como titular de uma equipe campeã, sendo um atacante que não marca nenhum gol há mais de um turno? Como Jadson pode seguir em campo com toda essa inhaca que tem apresentado jogo a jogo?


Com Marquinhos Gabriel e Clayson pedindo passagem, Carille sofre pela primeira vez uma ‘pressão’ da torcida alvinegra: por que não dar chance aos atletas vindos do banco de reservas que ultimamente estão rendendo mais que os titulares? No caso de Clayson, ainda acredito que o menino pode seguir como o talismã que coloca fogo na partida no segundo tempo. Só que o caso de Marquinhos Gabriel é muito mais grave: o meia-atacante tem feito atuações muito acima da sua temporada anterior, e quando iniciou como titular contra o Coritiba foi um dos melhores atletas do Corinthians na partida.


Estou longe de querer apontar o dedo para Carille, tenho certeza que o treinador sabe o que está fazendo. Ninguém sabe melhor o que se passa nos treinamentos do que ele, só que infelizmente, em campo a história tem sido outra. Parece que o Corinthians está tentando levar o Campeonato Brasileiro em banho-maria, aproveitando-se apenas da vantagem obtida no primeiro turno. Esqueceu-se de jogar, ser perigoso, atacar e amedrontar os adversários, e muito disso se passa devido à má fase de atletas que estão com cadeira cativa na equipe titular.


Espero honestamente que nas próximas partidas a postura corintiana mude. Está na hora de recuperarmos a estigma de um líder que quer de qualquer maneira tornar-se campeão. Faltam poucos passos rumo ao título, e está proibido vacilar a partir de agora.


Siga a página no Facebook: Paixão Maloqueira