Afinal, o que ainda esperar do Cruzeiro neste ano?

Conquistada a Copa do Brasil e, consequentemente, a vaga para a Libertadores do ano que vem, o Cruzeiro vive praticamente de renda no Campeonato Brasileiro. Com remotas chances de campeonar e confortavelmente situado no G6, o time vai cumprindo a tabela procurando motivação extra para jogar de forma competitiva e digna.


Vale ressaltar que uma boa colocação pode render uma premiação generosa no final do ano, algo que não pode ser desprezado considerando que o time precisa investir em reforços pontuais para algumas posições mais carentes, como a lateral direita e o ataque, por exemplo.


Esses últimos jogos servem também para definir a permanência de certos jogadores que não têm produzido o esperado ao longo do ano. Rafael Marques e Rafael Sóbis parecem ser os mais cotados para puxar o barco de dispensas para o ano que vem. Para quem está de volta ou não teve muita chance no time titular, esses jogos ajudam a adquirir ritmo, sequência e, quem sabe, a titularidade.


GazetaPress
GazetaPress

Fabio, um monstro de regularidade, só o Tite finge que não vê


Uma boa reta final nesta temporada pode garantir um ótimo começo para a próxima. E é por isso que é fundamental que o time mantenha o foco para evitar comodismos excessivos e prejudiciais que podem comprometer o trabalho num futuro próximo. Está terminantemente proibido sentar nos louros do penta.


Em sintonia com este pensamento e visando reduzir gastos de tempo, a recém-eleita diretoria celeste optou pela continuidade do projeto Mano em vista da conquista da tão sonhada Libertadores, já que um novo projeto demandaria um tempo que não existe para montar todo o planejamento para a próxima temporada.


A filosofia do Mano todo mundo já conhece de cor e salteado. A taça, se vier, será na base do 0 a 0 sofrido e das goleadas de meio a zero. Um preço que a torcida pode pagar, mas só se vier resultado efetivo.


GazetaPress
GazetaPress

Jogadores comemoram gol no Palmeiras. Comprometimento e foco


O que podemos esperar do Cruzeiro no final deste ano é que faça jogos dignos e que supere a tentação de entrar de férias de forma antecipada. A torcida celeste não tolera este tipo de atitude, mesmo com a recente conquista da Copa do Brasil. Deixemos de lado a farra e os festejos e foquemos nos jogos que faltam, em respeito ao futebol, mas principalmente à instituição.


Somos Penta, mas, acima de tudo, somos Cruzeiro!