Aposenta, Rogério Ceni

Para com isso, Rogério! O senhor já está velhinho, ultrapassado. Quando te vejo, lembro daqueles goleiros que usavam calça por dentro do meião. O senhor está no meu album de figurinhas da Copa de 1934 (!).


Sua insistência no futebol só pode ser despeito com a Nação Azul. Com certeza, não engoliu aquele gol do Giovanni, aos 46 do segundo tempo, que valeu ao Cruzeiro o título de campeão da Copa do Brasil de 2000. Neste dia, o senhor deve ter enterrado alguma galinha preta no Mineirão, porque de lá pra cá o Cruzeiro dessossador universal do cenário esportivo continental e devorador master de títulos nacionais e internacionais, esbarra sempre no senhor.


Getty Images
Masashi Hara - Getty Images Sports

Momento raro: Ceni contrariado por não deixar sua marca contra o Cruzeiro.


Chega, não bastam os vários títulos ganhos ao longo de 82 anos de carreira? Hoje até costuma engulir frangos homéricos contra timecos do interior brasileiro, nem mesmo a sua torcida aguenta ver seu nariz avantajado! Mas é só dar de cara com a camisa azul do meu time, o senhor vira o bicho, esquece as dores nas juntas, incorpora o Lev Yashin e chinela meu time. Sério, não dá mais!


Só de saber que o Cruzeiro vai enfrentar o São Paulo com o senhor no gol já sei que serão três pontos perdidos. Por sorte existem algumas exceções, mas elas são tão raras quanto as aparições do Cometa Halley. Se dermos sorte, até a próxima aparição o senhor já terá resolvido se afastar de suas funções de asa negra do Cruzeiro e abrir uma escolinha de futebol de goleiros junto com alguns ex-colegas da sua geração: Zetti e Gilmar. E esqueça o showbol, lá tem o Cruzeiro também!


Não aguento acompanhar um jogo seu contra o meu Cruzeiro pela TV e o cronista avisar a cada cinco minutos que o Fabio é sua maior vítima. E toda falta na entrada da área é você que vai bater, com aquele passo de urubu manco que todo cruzeirense sabe de cor e salteado. E por qual raio de motivo você não toma gols na saída de bola seguinte, quando erra uma cobrança? Que macumba é essa? Pela sua idade, calculo que para percorrer os 90 metros de volta para o seu gol, o senhor gastaria uns dois/três minutos, o tempo para o goleiro adversário pegar a bola, tomar o cafezinho e ligar um contra-ataque letal.


Cara, chega. Falo de coração! O senhor não é o Zoff, nem o Shilton! Não aguento mais ver meu time perder ou empatar por causa da sua símples presença. Já não bastam os Harleis, os Baiers, os Freds e os Marlos da vida... ainda tem o senhor para estragar as nossas tardes de futebol. Se eu achar mais uma figurinha sua nos próximos albuns do campeonato brasileiro, prometo colar de cabeça pra baixo.


Aposenta, Rogério!!!


Ah, e parabéns pelo belo exemplo de profissionalismo e dedicação ao clube. São raros os profissionais que dedicam sua vida para o mesmo clube.