Cruzeiro: um candidato ao título não pode ter 1 ponto em 9 disputados

Thomas Santos/Agif/Gazeta Press
Thomas Santos/Agif/Gazeta Press

Mano, jogar de forma cautelosa é uma coisa. Abdicar do ataque e da vitória é outra!


Titular, misto ou reserva. Não importa. Já se passaram três rodadas e o Cruzeiro ainda não marcou um golzinho se quer no Brasileirão 2018. Já são 270 minutos de bola rolando e nada da gorduchinha dentro da casinha. Em relação aos pontos, de 9 disputados, conquistamos apenas 1. Aproveitamento pífio de 11%. Perdemos em casa; perdemos jogando com um homem a mais durante quase o jogo todo; e empatamos na covardia e com o time reserva. Isso vai fazer muita falta lá na frente. Independente do que o Cruzeiro estiver disputando.


O ponto contra o Inter pode ser visto como um ponto conquistado ou dois que time gaúcho deixou de ganhar. Explico:


Podemos ver que foi um ponto conquistado se lembrarmos que os nossos laterais reservas são uma draga. Não marcam, não atacam e ainda são lentos.


O Bruno Silva nem de longe é aquele jogador do Botafogo, mas também não precisa ser pego para Cristo como a torcida vem fazendo. Ontem ele correu, marcou e deu passes certos. Está fazendo aquilo que o treinador manda. Só que ele se destacou no time carioca como um ponta direita, não como um volante/meia de marcação e saída (esse assunto merece um post só para ele).


Robinho está em péssima fase. Não acerta um passe de meio metro e ainda anda em campo.


Mancuello caiu de rendimento e segue sendo aquele jogador inconstante e contestado no Flamengo.


Rafael Sóbis lá na frente só faz gol quando o jogo tá decidido e depois chuta a bola para a torcida e reclama das cobranças feitas a ele. É a cara do atacante do Mano!


Na soma disso tudo e com todas as adversidades, podemos dizer que conquistamos um ponto no Sul.


Agora, podemos ver que o Inter perdeu dois pontos quando analisarmos que o Rafael, goleiro do Cruzeiro e completando 100 jogos defendendo a meta celeste, foi o melhor e campo fazendo, pelo menos 8 defesas, sendo 5 difíceis.


Outro dado revoltante para o torcedor celeste: a Raposa não deu nenhum chute ao gol durante os 90 minutos. NENHUM CHUTE A GOL! Como você quer vencer se não chuta a bola para o gol?


Odeio este estilo de jogo do Cruzeiro, imposto pelo nosso técnico, que joga para não perder. Empatar e perder não são absurdos. O problema são as circunstâncias que o próprio Cruzeiro, vulgo Mano, está criando. Jogar de forma cautelosa é uma coisa. Abdicar do ataque e da vitória é outra.


E esses caras têm e podem render muito mais. Bruno Silva, Mancuello, Robinho, Sobis, Romero, Manuel e Raniel seriam titular em qualquer equipe hoje no Brasil. Não estou dizendo que está faltando empenho, mas um pouco de atitude deles e, principalmente, do nosso técnico.


Muitos torcedores estão aceitando e entendendo isso como normal, começo de campeonato, priorizando a Libertadores, time titular é muito superior ao reserva, e blá-blá-blá.


Meu amigo, isso não é normal. Isso não é Cruzeiro.