Éverton Ribeiro foi brilhante no Mineirão - só faltou ao Flamengo ser brilhante no campeonato

Sabe tudo que você esperava que Éverton Ribeiro fizesse quando veio pro Flamengo? Foi isso que ele fez nesse domingo, contra o Cruzeiro. Sabe canetinha que vai fazer o defensor precisar dobrar as sessões semanais de terapia? Teve. Sabe finalização tão sem ângulo que a próxima Medalha Fields - o prêmio Nobel de Matemática - vai ser dado à equipe que explicar como ele acertou o gol? Aconteceu. Sabe chute de longa distância que se costuma dizer que o cidadão só acerta um na vida? Bem, obviamente Éverton já reencarnou porque, que eu lembre, esse de hoje não foi o primeiro que ele fez.


Mas por mais lindos que tenham sido os dois gols, por mais segura que tenha sido a vitória rubro-negra, por mais que os números atestem o bom aproveitamento de Dorival Junior no comando da equipe, nada disso acaba importando muito já que, mais ou menos ao mesmo tempo, o Palmeiras se sagrava campeão brasileiro ao vencer por 1x0 o Vasco em São Januário, confirmando a expectativa de que o Flamengo iria, mais uma vez, terminar a temporada sem conquistar absolutamente nenhum título no futebol masculino - o futebol feminino conquistou, ontem mesmo por sinal, o tetracampeonato carioca após golear o Duque de Caxias.


Site Oficial Flamengo
Site Oficial Flamengo

"Queria usar essa oportunidade na frente da TV pra avisar pra diretoria que a gente precisa de LATERAL, LATERAL"


Foi um ano vergonhoso, a ser jogado no lixo? Não. Uma 2ª colocação num campeonato disputado como o Brasileirão não é algo fácil e em 2019 o Flamengo participa de sua 3ª Libertadores seguida, algo que não era comum para um clube com um passado de altos e baixos. As finanças do clube aparentemente estão em dia, ainda que às custas das vendas dos nossos jogadores mais promissores e existe sim uma base interessante para a equipe do ano que vem.


Mas existe algo a comemorar? Não, também não existe. Vivemos uma temporada de falhas, erros, alguns mais e outros menos justificáveis, mas todos eles situações que não podem se repetir se o time quer mesmo voltar a ser campeão. Foram indefinições da diretoria, foram más decisões de treinadores, foram falhas de atletas em momentos chave de partidas decisivas, tudo isso se somando até chegar a esse momento culminante, nesse domingo, em que por mais que Éverton Ribeiro parecesse estar disposto a deixar o Mineirão com mais obras de arte que o Louvre, não iria fazer a menor diferença.


Afinal, da mesma forma que dizem que não adianta fazer yoga se você não cumprimentar o porteiro, não adianta ter duas pinturas do Éverton Ribeiro se o seu lateral na temporada vai ser o Pará.


Então, por mais que ainda exista pela frente uma última partida contra o Atlético-PR, o Flamengo já tem um mapa bem claro do que ele precisa para a próxima temporada, sejam novos laterais, mais um zagueiro, mais concentração na hora de decidir, e também do que ele não precisa, indo desde Rômulo até a insistência na escalação de jogadores que ainda estão longe da condição física ideal.


Cabe ao clube apenas ser capaz de lembrar de cada uma dessas dicas que 2018 deixou para que no ano que vem, quando estivermos comemorando lindos gols dos nossos jogadores, eles realmente estejam valendo muita coisa.