Abel Braga pode ser exatamente o que o Flamengo precisa para 2019

E a não ser que haja alguma reviravolta inesperada, José Mourinho revele que sempre quis treinar o lateral Pará e aceita até redução de salário pra isso, Abel Braga tende a ser oficializado como treinador do Flamengo ainda durante essa semana. E ainda que um novo treinador não seja exatamente novidade pro torcedor rubro-negro – foram 18 trocas de comando em 6 anos, se contarmos interinos e técnicos que a diretoria conseguiu demitir e depois recontratar – existem alguns motivos para acreditar que Abel Braga pode ser uma aposta mais acertada que Ney Franco ou Cristóvão Borges. Não que isso seja muito difícil, claro.

Primeiro porque Abel é um treinador experiente. Sabe todos os momentos em que falaram que Barbieri ou Zé Ricardo não eram preparados o bastante para lidar com o ambiente de pressão da Gávea? Bem, aos 66 anos Abel é praticamente um mestre Kame de tão cascudo, com passagens que vão desde o Goytacaz de Campos até o Al Jazira nos Emirados Árabes. Isso não garante que Abel não vai errar, claro, mas ao menos reduz bastante a possibilidade de que ele erre por pressão, inocência ou inexperiência.


Nelson Perez / Fluminense FC
Nelson Perez / Fluminense FC

Abel pode não ser o treinador com pinta de churrasqueiro que o Flamengo queria mas talvez seja o operador de grelha que o Flamengo precisava


Depois porque dentro dessa experiência já existe a experiência de Flamengo, o que reduz o período que o treinador vai precisar para se adaptar ao que há de específico na Gávea. Essa experiência envolve um vergonhoso vice-campeonato da Copa do Brasil para o Santo André em 2004? Sim, envolve. Mas não apenas Abel cresceu muito como treinador depois disso como o Flamengo, que na época tinha entre os titulares Reginaldo Araújo, André Bahia e Douglas Silva – com Negreiros no banco – tem bem mais material humano a oferecer hoje em dia. 

E claro, o fato de que Abel é um vencedor. Estadual? Abel já ganhou em sei lá quantos estados. Brasileirão? Já ganhou com o Fluminense. Libertadores? Já ganhou. Mundial? Já levou também. Claro que o fato de já ter vencido uma competição mais de dez anos atrás não implica de maneira alguma que você é capaz de vencer de novo, mas após lidar com tantos treinadores que não reconheceriam uma taça nem se ela fosse atirada em cima deles, ser comandado por um profissional vitorioso na beira do campo pode ser muito positivo para o Flamengo.

Somando esses fatores você tem um treinador que parece ser a resposta para muitos dos problemas que o Flamengo vinha apresentando nos últimos anos. Alguém que não apenas quer elevar o nível de cobrança do elenco como tem história e capacidade para isso, que chegaria ainda durante a etapa de planejamento da temporada, para poder influenciar na formação do elenco e que entende o bastante do ambiente do Flamengo e tem respaldo da nova diretoria para conseguir impor seu estilo de trabalho. Em suma, ainda que obviamente não seja a escolha perfeita, ao menos no papel Abel Braga parece sim um bom encaixe para o Flamengo que esperamos em 2019.

Resta agora ver como isso vai funcionar na prática. Tanto quanto de um bom treinador, o Flamengo precisa de um bom elenco e isso vai envolver reforços pontuais e acertados, para não repetirmos situações do tipo “temos 6 atacantes de lado de campo mas 4 são horríveis e não temos nenhum lateral” ou “hahahaha galera, esquecemos que precisa ter goleiro pra vencer essa final nos pênaltis, né?”. O trabalho de montar um Flamengo que em 2019 vai conquistar títulos e não apenas “brigar bastante” ou “dominar as partidas” vai ser longo, mas ter Abel Braga no comando desse processo parece, ao menos até agora, um bom começo.

Exceto, claro, se esse papo de pedir contratação do Ganso for verdade. Se for aí o Abel ficou maluco e a gente precisa conversar com ele com mais calma.