Fluminense: o legado de Pedro Abad é o caos

Divulgação Fluminense F.C.
Divulgação Fluminense F.C.

Pedro Abad, seu lugar na história do Fluminense está escrito: você será lembrado como o presidente que destruiu o Football Club


O time do Fluminense que perdeu para o Boavista na estreia do Campeonato Carioca é um dos piores da história. Ponto. Esse horroroso time não venceria nem mesmo o lendário time de futsal da turma 302 do Colégio Olavo Bilac, em Resende, no Interclasses de 2009 – mesmo se jogássemos com a formação de cinco jogadores.


Esse time passaria perrengue na Série B.


Do Campeonato Carioca.


O torcedor tricolor que desbundou até Saquarema pra assistir a Julio Chester, Dudu (???), Reginaldo com a braçadeira de capitão que um dia já foi envergada por grandes nomes como Ronieliton, Volante Edinho e Fernando Bob (em pleno Fla-Flu), Frazan, que de longe parece horrível e de perto parece que está de longe, Ayrton Beijoca, Luiz Fernando & Marlon Freitas, Caio (???), Romarinho e Robinho merece um prêmio.


(Ou talvez uma surra.)


Pior de tudo é acessar as redes sociais e ver gente jurando de pé junto que o Fluminense perdeu porque o jogo foi 16h30, porque o árbitro era o Marcelo de Lima Henrique, porque isso, porque aquilo.


Porra, meu parceiro, me ajude a te ajudar.


Eu olhei a escalação, vi o Boavista com Erick Flores e Leandrão e o Fellype Gabriel no banco e quase senti uma pontada de inveja.


Pedro Abad, a quem me recuso a chamar de “presidente” – o queijo ralado tem mais moral pra se chamado de President do que esse imprestável – deveria sentir vergonha de ser o responsável pelo Fluminense ir a campo num jogo competitivo profissional com um time de qualidade tão duvidosa quanto suas promessas de campanha.


Aliás, “qualidade duvidosa” não é a expressão certa. A qualidade desse time é uma certeza: não existe.


Assim como as promessas de campanha de Pedro Abad valem tanto quanto uma nota de três.


O legado de Pedro Abad e sua trupe (para não usar o termo “corja”) no Fluminense Football Club é a destruição do Football Club.


Logo o Fluminense, o primeiro clube do Brasil a ostentar a palavra “Football” no nome.


Pedro Abad, se você não tem noção da dimensão dessa instituição, pega seu bonezinho, sua pastinha, e volta pra Receita Federal. Vai ser melhor pra todo mundo.


Pra você, duplamente. Depois de um tempo, a galera para de pegar no seu pé. E com você saindo, e entrando alguém decente no lugar, que entenda de futebol, que entenda o que o futebol significa, que entenda o que um clube de futebol precisa, que entenda o que um clube de futebol do tamanho do Fluminense precisa, o clube pelo qual você diz torcer vai ficar muito melhor.


Estamos há mais de ano sem patrocínio master e impressiona a capacidade de Pedro Abad e seus asseclas de fazerem maus negócios e tomarem decisões extremamente imbecis. 


O time do ano passado já era uma bela de uma bosta bem fedorenta, e Pedro Abad e sua galera ainda conseguiram perder os únicos ali que saberiam diferenciar uma bola de futebol de um coco.


Em vez de negociar essa galera, pegar alguns jogadores em troca, levantar uma graninha, preferiu dispensar todo mundo por nota oficial. Resumo da ópera: reforçou rivais, reforçará outras. E não de graça, pois as ações trabalhistas vão entrar rasgando.


Ou seja: o Fluminense vai pagar uma fortuna para que seus jogadores possam ir jogar em outros times.


Genial. E olha que o vice-presidente é advogado, o advogado que garantia que havia dezenas de empresas no seu bolso para patrocinarem o Fluminense.


Aí você acessa o noticiário esportivo e vê jogadores medíocres que nunca jogaram nada em lugar nenhum, nunca chuparam laranja com ninguém de expressão, falando que não queriam jogar no Fluminense. Vê o Fluminense perdendo reforços para times de menor expressão, vê o Edson dizer que preferia continuar no Bahia a voltar pra cá. É de cair o cu da bunda.


Não há dinheiro para pagar os jogadores sob contrato, muito menos para contratar novos e reforçar esse elenco de merda. Mas há dinheiro para contratar CEOs, dirigentes, ex-jogadores de vôlei.


Há dinheiro pra sustentar uma porra de uma filial na caralha da ESLOVÁQUIA, que devolve um monte de jogador horroroso e que está prestes a ser rebaixada na SEGUNDA DIVISÃO.


BICHO, SEGUNDA DIVISÃO DA ESLOVÁQUIA!!!


Como diria minha saudosa avó, dá vontade de dar de dois em dois na cara desses sujeitos até ficar ímpar.


Pedro Abad, seu lugar na história do Fluminense está escrito: você será lembrado como o presidente que destruiu o Football Club.


Corrijo a tempo, porque você é pequeno demais para destruir uma instituição desse tamanho.


Você será lembrado como o presidente que tentou destruir o Football Club.


E isso nós nunca esqueceremos.


STs