Ser derrotado enquanto faz sua melhor partida no ano é a cara do Fluminense

Assim como provavelmente toda a torcida do Fluminense, eu também tô puto por conta dessa derrota para o Botafogo. Ainda mais porque, dos jogos do Fluminense que vi nessa temporada, esse foi - de longe - o melhor deles. A atuação do time no primeiro tempo me deixou em dúvida se eu tava vendo o Tricolor das Laranjeiras ou o Liverpool em campo.


Caiu um pouco no segundo, mas ainda assim eu achei ótimo e, se não fosse uma defesa sensacional do Jefferson e uma isolada bizonha do Marcos Jr, a gente tinha no mínimo empatado. E, ainda assim, eu não consigo pensar num jeito "mais Fluminense" de perder um jogo do que esse.


Mas vamos lá. Eu tento ao máximo não ser resultadista, então estou minimamente feliz com o que vi em campo, apesar de ter perdido. Não sei se a leitura de jogo veio do Abel ou dos jogadores, mas foi uma ótima sacada concentrar o jogo pelo lado direito, quando o Botafogo tinha Gílson e Renatinho, sem a recomposição de Kieza, marcando por ali. Gilberto, Jadson e Marcos Jr deram um baile nos dois. Foi lindo de se ver. Deu aquela empolgada.


Mas aí, gol do Botafogo. Na bola aérea. Como parece sempre acontecer.


Empatamos numa baita duma jogada - de novo pelo lado direito - com um gol de futevôlei do Pedro, uma mistura de Ibrahimovic com Roberto Firmino, só que melhor, sem a nareba do sueco e sem dentes tão brancos quanto os do camisa 9 do Liverpool.


Maílson Santana/Fluminense FC
Maílson Santana/Fluminense FC

Antes crítico, a partir de hoje vou ser obrigado a patrocinar o menino Pedro. Tá voando


No segundo tempo, com a saída de Renatinho, o Botafogo complicou um pouco mais a tarefa do Flu. Ainda assim, continuamos melhores, pressionamos e aí...


Gol do Botafogo. De novo na bola aérea (que o Abel não consegue consertar de jeito nenhum desde que chegou no comando do time. Mas esse papo fica pra outra hora). Segue o baile de novo.


O time acusou o golpe e aí parece que o jogo muito desgastante contra o Nacional Potosí também teve seus efeitos. Apesar de seguir pressionando e lutando até o último minuto, o Tricolor já parecia mais cansado.


Até que a bola, num lindo passe de Gilberto, chegou nos pés de Marcos Jr. Como já diria um narrador famoso, ele pensou "agora eu se consagro", armou o voleio, encheu o pé...e...e...e isolou por cima.


Podia ter dominado, ajeitado o corpo e deslocado Jefferson. Mas não. A criatura enche o pé no voleio e manda a bola lá na pista de atletismo.


Pra encerrar a pressão e acabar com os sonhos da torcida tricolor, Sornoza acertou um sem pulo espetacular e só não marcou um gol de placa no Engenhão porque Jefferson voou e fez uma defesa de cinema.


Maílson Santana/Fluminense FC
Maílson Santana/Fluminense FC

"Hello, darkness, my old friend". Essa foi mais ou menos a minha cara olhando a isolada do Marcos Jr. Tamo junto, Sornoza.


Enfim, o resultado foi ruim, mas nem tudo está perdido. O time jogou bem e, se mantiver esse nível de atuação, vai mais longe do que eu mesmo imaginaria. A ver.


Que vença o Fluminense e vamos às notas.


Júlio César - Nota 6: Foi pouco exigido. Não teve culpa nos gols.


Gilberto - Nota 8: Excelente atuação. Levou vantagem sobre Gílson e só me tirou do sério porque podia ter rolado umas três bolas pro Jadson finalizar ao invés de cruzar ou chutar de esquerda. Mas ok.


Renato Chaves - Nota 6: "Renato Chaves, com espaço pela direita, caprichou no cruzamento", disse o narrador. A bola foi parar na cabeça do Rabello, com o jogador do Fluminense mais próximo da redonda a uns quatro metros dela. Não pode passar do meio campo. Mas até que foi seguro.


Gum - Nota 6: Eu ia dar nota 7 pelo corte providencial de um cruzamento, mas revi o lance do gol e me irritei com o fato de que o zagueiro mais experiente do time marca A BOLA e não O JOGADOR em uma cobrança de escanteio. Fica no 6.


Luan Peres - Nota 7: Boa estreia. Seguro, foi bem e parece que vai ser uma boa alternativa ao Ibañez, quando necessário.


Ayrton Lucas - Nota SAUDADES: Você nem se machucou e eu já sinto sua falta. Que não tenha sido nada tão grave e você volte logo. No jogo, pouco teve tempo de fazer qualquer coisa e ainda ficou preso por causa de Marcinho/Luiz Fernando.


Richard - Nota 5,5: Tô pistola por causa da tua falha no primeiro gol dos caras. Abraço.


Jadson - Nota DEUS: A cada bom jogo do Jadson que vejo, eu me impressiono. O cara parece ser onipresente. Tá em todo campo ao mesmo tempo, com um bom controle de bola, driblando até a própria mãe e tabelando com quem estiver por perto. Baita achado.


Sornoza - Nota 8,5: Merecia aquele golzinho no fim. Jogou bem demais e foi fundamental na criação de jogadas. Jogando aberto pela esquerda, parece ter rendido mais - ainda que caia bastante pelo centro em dados momentos. Qualidade tem, falta ter regularidade.


Marcos Jr - Nota 5: Dez pelo passe para o Pedro, zero pela isolada no fim. Média cinco e se abrir a boca pra reclamar cai mais um ponto.


Pedro - Nota 9: O cara meteu um gol de futevôlei num clássico, ganhando de Joel Carli pelo alto. A quantidade de bola que ele distribuiu me fez achar que eu tava assistindo a um jogo de Liverpool. O problema é que, ao invés do Salah, a gente tinha o Marcos Jr. E depois Robinho. Já critiquei muito, mas tô me rendendo ao nosso Queixo-Rubro.


Abel Braga - Nota 7: Eu sei que o time jogou bem, mas dá teu jeito de consertar essa bola aérea defensiva porque não é possível que tu não consiga, Abelão.


Marlon - Nota 4: HORRÍVEL. Te patrocinei muito, mas tá impossível te defender.


Robinho - Sem Nota: Eu vou começar um protesto por aqui. Enquanto o Robinho não entrar acordado em campo, eu nem avalio ele.


Pablo Dyego - Sem Nota: Nem vi direito em campo.