O Fluminense vai perder para os outros grandes, e isso é normal

O Fluminense tem um time ruim. Isso é um fato. Dito isso, sejamos realistas: a briga do Tricolor das Laranjeiras, apesar de o torcedor sempre exigir uma briga por títulos e pelos lugares mais altos da tabela, é para ficar no meio da tabela. Se esse elenco vestisse a camisa de uma equipe considerada média/pequena, seria considerada sério candidata ao rebaixamento.


Apesar de termos conseguido alguns bons resultados nesse começo de Campeonato Brasileiro, uma derrota para o Flamengo é facilmente considerada normal. É óbvio que incomoda, porque ninguém gosta de perder para um rival. Mas sinceramente? Me incomoda muito mais sermos derrotados pelo Paraná do que pelo Rubro-Negro.


Perder para Palmeiras, Corinthians, Atlético-MG, Flamengo, infelizmente é o resultado mais provável e comum para o Fluminense de 2018. A cada dia, fica mais claro que não temos um bom time - e um elenco pior ainda - para brigar de igual para igual contra essas equipes. No entanto, não podemos de forma alguma perder pontos para os times que vão brigar para não cair ou que tendem a ficar na "zona morta" do Brasileirão, ali entre o Z-4 e a parte de cima da tabela.


Para piorar, parece que o Fluminense precisa de uma bênção. Seja lá qual for sua religião, caro leitor, dê uma rezada pela saúde dos atacantes tricolores. Já não temos Pedro, Marcos Jr e Calazans - esse por culpa da covardia de alguns torcedores do Flamengo - e agora ainda perdemos Pablo Dyego depois de apenas dez minutos dentro de campo no Fla-Flu. Está difícil.


Aliás: Abel Braga errou, mais uma vez, no que tentou planejar para o jogo. Depois de sair perdendo, o Fluminense estava fadado à derrota. No segundo tempo, teve mais posse de bola, mas foi a posse ineficaz que tanto se acostumou a fazer seus adversários terem recentemente. Faltou criatividade, faltou um bom jogador entrelinhas - que poderia ser Robinho -, faltou quem quebrasse linhas de marcação - por que tirar Sornoza, Abel? -, faltou um bom centroavante...enfim. Barbieri certamente sabia disso, compactou as linhas de marcação do Flamengo e praticamente garantiu a vitória sem maiores sustos.


Gazeta Press
Gazeta Press

Dessa vez não dá pra te defender, Abelão.


Agora, é pensar nos próximos dois jogos antes da parada para a Copa e tentar arrancar, no mínimo, a vitória dentro do Maracanã contra o Santos.


Que vença o Fluminense.


PS1: Dos criadores de Marcelinho das Arábias e Romarinho, vem aí João Carlos. Aguardando o desenrolar dos próximos meses.


PS2: Um belo videogame. O que está acontecendo com o Marlon?


PS3: O que mais me incomoda no Robinho é que você percebe com facilidade que ele tem certa agilidade, excelente técnica e boa chegada no último terço do campo. Mas a intensidade com a qual ele joga é de deixar qualquer um desanimado. Parece sempre atrasado, desatento, sei lá.


PS4: Demorou, mas a maldita lei do ex bateu. E parece que eu nunca na vida vou ver o Dourado perder um pênalti. Aliás, foi pênalti.