Luan, o primeiro gremista Rei da América. Quem foram os outros premiados?

O 2017 gremista foi tão bom que até no último dia do ano houve conquista. Luan foi anunciado como o Rei da América da temporada passada, superando Paolo Guerrero e o nosso Arthur, em uma longa lista que também teve Marcelo Grohe no sétimo lugar. Trata-se do prêmio que é considerado o equivalente à Bola de Ouro para quem defende um clube de futebol em qualquer lugar das Américas. Isso vocês já sabem, foi talvez a notícia mais comentada pelos gremistas na véspera do ano novo. Mas a questão é que Luan acabou de se tornar o primeiro jogador da história a ser considerado o melhor do continente enquanto vestia a camisa tricolor.


A honraria do nosso camisa 7 também o coloca em um rol de premiados que, entre os brasileiros, só inclui craques históricos: gente como Pelé, Tostão, Zico, Sócrates, Romário e, mais recentemente, Neymar – entre outros. Luan, é claro, passa a ser desde já o brasileiro com mais coisas a provar em uma lista desse tamanho, mas ter sido o melhor jogador de uma Copa Libertadores já é um senhor cartão de visitas. Isso para não esquecer seu papel nada secundário na história da Seleção Brasileira, tendo sido o grande responsável pela virada do time que conquistou o primeiro ouro olímpico em 2016, assumindo a titularidade com o torneio em andamento. No futuro só lembrarão de Neymar, mas o gremista lembra bem como Walace e, sobretudo, Luan, mudaram uma equipe que não assustava ninguém.


El País/Reprodução
El País/Reprodução

Capa do caderno de esportes de El País anuncia o que já sabíamos: Luan foi o melhor do continente em 2017


A premiação que Luan acaba de vencer foi estabelecida pelo jornal El País em 1986, mas desde 1971 já existia um reconhecimento ao melhor jogador do ano nas Américas – o prêmio original foi criado pelos venezuelanos de uma publicação chamada El Mundo e funcionava nos mesmos moldes, com jornalistas de todo o continente participando da eleição. A diferença é que, nos tempos de El Mundo, qualquer jogador das Américas ao redor do mundo podia ser votado (Kempes ganhou em 1978 atuando pelo Valencia, por exemplo, e depois Maradona empilhou troféus), e hoje é preciso necessariamente estar jogando deste lado do Atlântico. A mudança feita por El País se mostrou um acerto no longo prazo, aproximando o prêmio das torcidas daqui e tornando-o o reconhecimento mais prestigioso, a ponto de extinguir a votação rival.


A premiação venezuelana continuou coexistindo com a uruguaia até 1992. Depois, as rédeas passaram de vez para as mãos de El País. Considerando as duas, esta é a lista a que Luan se junta como o mais recente melhor jogador do nosso continente.


Época de El Mundo (1971-1985):


1971- Tostão (brasileiro, Cruzeiro-BRA)
1972- Teófilo Cubillas (peruano, Alianza Lima-PER)
1973- Pelé (brasileiro, Santos-BRA)
1974- Elías Figueroa (chileno, Internacional-BRA)
1975- Elías Figueroa (chileno, Internacional-BRA)
1976- Elías Figueroa (chileno, Internacional-BRA)
1977- Zico (brasileiro, Flamengo-BRA)
1978- Mario Kempes (argentino, Valencia-ESP)
1979- Diego Maradona (argentino, Argentinos Juniors-ARG)
1980- Diego Maradona (argentino, Argentinos Juniors-ARG)
1981- Zico (brasileiro, Flamengo-BRA)
1982- Zico (brasileiro, Flamengo-BRA)
1983- Sócrates (brasileiro, Corinthians-BRA)
1984- Enzo Francescoli (uruguaio, River Plate-ARG)
1985- Julio César “Romerito” (paraguaio, Fluminense-BRA)


Período com duas premiações (1986-1992):


1986- Diego Maradona (argentino, Napoli-ITA) [El Mundo] e Antonio Alzamendi (uruguaio, River Plate-ARG) [El País]
1987- Carlos Valderrama (colombiano, Deportivo Cali-COL) [El Mundo e El País]
1988- Rubén Paz (uruguaio, Racing-ARG) [El Mundo e El País]
1989- Diego Maradona (argentino, Napoli-ITA) [El Mundo] e Bebeto (brasileiro, Vasco-BRA) [El País]
1990- Diego Maradona (argentino, Napoli-ITA) [El Mundo] e Raúl Amarilla (paraguaio, Olimpia-PAR) [El País]
1991- Gabriel Batistuta (argentino, Boca Juniors-ARG) [El Mundo] e Óscar Ruggeri (argentino, Vélez Sarsfield-ARG) [El País]
1992- Diego Maradona (argentino, Sevilla-ESP) [El Mundo] e Raí (brasileiro, São Paulo-BRA) [El País]


Época de El País (desde 1993):


1993- Carlos Valderrama (colombiano, Junior-COL)
1994- Cafu (brasileiro, São Paulo-BRA)
1995- Enzo Francescoli (uruguaio, River Plate-ARG)
1996- José Luis Chilavert (paraguaio, Vélez Sarsfield-ARG)
1997- Marcelo Salas (chileno, River Plate-ARG)
1998- Martín Palermo (argentino, Boca Juniors-ARG)
1999- Javier Saviola (argentino, River Plate-ARG)
2000- Romário (brasileiro, Vasco-BRA)
2001- Juan Román Riquelme (argentino, Boca Juniors-ARG)
2002- José Cardozo (paraguaio, Toluca-MEX)
2003- Carlos Tévez (argentino, Boca Juniors-ARG)
2004- Carlos Tévez (argentino, Boca Juniors-ARG)
2005- Carlos Tévez (argentino, Corinthians-BRA)
2006- Matías Fernández (chileno, Colo Colo-CHI)
2007- Salvador Cabañas (paraguaio, América-MEX)
2008- Juan Sebastián Verón (argentino, Estudiantes-ARG)
2009- Juan Sebastián Verón (argentino, Estudiantes-ARG)
2010- Andrés D’Alessandro (argentino, Internacional-BRA)
2011- Neymar (brasileiro, Santos-BRA)
2012- Neymar (brasileiro, Santos-BRA)
2013- Ronaldinho (brasileiro, Atlético Mineiro-BRA)
2014- Teófilo Gutiérrez (colombiano, River Plate-ARG)
2015- Carlos Sánchez (uruguaio, River Plate-ARG)
2016- Miguel Borja (colombiano, Atlético Nacional-COL)
2017- Luan (brasileiro, Grêmio-BRA)