Os recordes que o Grêmio pode bater na Libertadores

Grêmio Oficial
Grêmio Oficial

Gremistas na Olla Azulgrana, ontem à noite: ainda na fase de grupos deste ano, clube pode bater vários recordes


Com um chutaço de Geromel na trave e um pênalti escandaloso não marcado pela arbitragem, o Grêmio saiu ontem do Paraguai com um 0x0 contra o mais difícil adversário do grupo e até pareceu que foi pouco. O resultado contra o Cerro Porteño nos deixou senhores da nossa própria sorte, e agora o Grêmio depende apenas dos seus esforços para sair líder e invicto da chave, rumo aos mata-matas. A promessa de que teremos Libertadores também no segundo semestre, já que as finais só ocorrem após a Copa do Mundo, mantém o time na corrida para igualar e superar recordes – do clube e do futebol brasileiro – dentro do torneio continental.


Alguns deles são óbvios: se voltarmos à final este ano, empataremos com o São Paulo como time que mais vezes decidiu o título entre os brasileiros (6 decisões), com potencial para quebrar o recorde de conquistas do nosso futebol (hoje, com 3, estamos empatados no topo da lista com o próprio São Paulo e o Santos). Também está em nossas mãos, ao lado de São Paulo e Palmeiras, o recorde de participações – somos o brasileiro mais presente na história da Copa, tendo jogado a competição 18 vezes.


Outras marcas, porém, não se destacam ao primeiro olhar. Nesta postagem, compilarei alguns dos feitos estatísticos que o Grêmio pode alcançar nesta temporada – ou no futuro próximo.


Recordes que podem ser batidos até as oitavas-de-final


- Maior número de vitórias do futebol brasileiro: hoje, a marca pertence ao São Paulo, que venceu 90 partidas na história da Libertadores (em 183 jogos). Este é o recorde que temos mais chances de igualar ou superar ainda na primeira fase, na qual ainda jogaremos três vezes, sendo duas em casa: hoje, o Grêmio é o segundo colocado na lista – tem 88 vitórias pela Copa em 172 partidas disputadas. Este é um recorde extremamente volátil e, embora o Grêmio tenha tudo para ser o primeiro a superá-lo, pode ser que não termine esta edição da Libertadores com ele em mãos. Cruzeiro e Palmeiras têm 85 vitórias cada e, se fizerem campanhas mais longas, podem eventualmente superar tanto nós quanto o São Paulo. Abaixo deles dois, porém, nenhum outro time nos ameaçará tão cedo: o mais próximo é o Santos, com 70 vitórias. Na sequência da lista, aparecem Corinthians (60), Flamengo (57) e Inter (53).


Grêmio Oficial
Grêmio Oficial

O capitão Geromel é peça fundamental para os recordes defensivos


- Maior artilheiro do Grêmio na Libertadores: Jardel permanece insuperável como goleador histórico do clube na Copa. No total, somando a campanha do título de 1995 (quando foi artilheiro do torneio) e a trajetória que terminou nas semifinais em 1996, Jardel marcou 15 gols no torneio. A missão é difícil, mas não impossível: quem tem mais chances de alcançá-lo é Luan, que tem um total de 10 gols marcados por nós na Copa. Apenas no ano passado, nosso camisa 7 balançou as redes oito vezes. Ele também havia anotado um gol contra o Atlético Nacional em 2014, e já somou outro na campanha atual, nos 4x0 sobre o Monagas. Hoje, Luan é o segundo maior artilheiro do Grêmio na competição, empatado com Rodrigo Mendes, que fez todos os seus 10 gols em 2002.


- Maior série invicta do Grêmio: hoje, nosso recorde de invencibilidade na Libertadores são 10 partidas consecutivas, todas elas em 2009, quando ficamos da primeira rodada dos grupos até a partida de volta das quartas-de-final sem sermos derrotados – seríamos superados pelo Cruzeiro na ida das semifinais, quebrando a série e eventualmente sendo eliminados. A sequência atual do Grêmio ainda não é grande (5 jogos, contando as duas finais de 2017 e as três rodadas já disputadas este ano), mas a tabela favorece a sua continuidade: se ficarmos até o fim das oitavas-de-final sem perder, igualamos a marca de 10 jogos consecutivos, podendo superá-la na fase seguinte.


- Jogos consecutivos do Grêmio sem sofrer gols: a marca é surpreendentemente curta. Até hoje, a maior sequência do clube sem ser vazado na Libertadores é de quatro jogos – estabelecida em 1995, entre a última rodada da fase de grupos e o jogo de ida das quartas-de-final, contra o Palmeiras (na volta, essa sequência acabou espetacularmente, no famoso jogo em que levamos 5x1 mas nos classificamos igual). No momento, estamos apenas na metade do caminho, sem levar gols há dois jogos: os 4x0 sobre o Monagas e o 0x0 de ontem. Mas a defesa é tão forte que é possível acreditar na continuidade desses números: Marcelo Grohe segue sem levar gols de bola rolando desde 1º de novembro do ano passado, e neste exato momento vive a sua segunda maior sequência invicta da carreira – contando todas as competições, já são seis jogos consecutivos do nosso goleiro sem sofrer qualquer gol (seu recorde são oito jogos em sequência, em setembro de 2014, na época das retrancas de Felipão).


Grêmio Oficial
Grêmio Oficial

Ramiro não é famoso por seus gols, mas pode alcançar uma marca que nenhum artilheiro gremista conseguiu até hoje


- Gols em mais Libertadores diferentes pelo Grêmio: nenhum jogador gremista conseguiu registrar seu nome na lista de goleadores em mais que três Libertadores até hoje. São quatro os responsáveis pelo feito: Luan (que fez gols em 2014, 2017 e 2018), Paulo Nunes (1995, 1996 e 1997), Luís Carlos Goiano (1995, 1996 e 1998) e aquele que pode bater o recorde na campanha atual – Ramiro. Embora tenha apenas três gols pela Copa em sua carreira, Ramiro fez cada um deles em uma edição distinta: foi às redes em 2014, 2016 e 2017 e, como ainda não marcou nenhum na campanha atual, pode se tornar o primeiro jogador do clube a anotar em quatro Libertadores diferentes.


Recorde que pode vir com uma campanha mais longa


- Mais jogos de um brasileiro na Libertadores: este só será alcançado se chegarmos à final novamente. O São Paulo é o clube brasileiro que mais partidas disputou na história da Copa, um total de 183 jogos. Segundo colocado, o Grêmio hoje soma 172, e teria exatamente onze jogos a mais por disputar em uma campanha que eventualmente chegasse à final. O time mais próximo de nós na lista – que pode nos superar nesta campanha se cairmos cedo, mas ainda não alcançaria o São Paulo – é o Palmeiras, que já disputou 165 jogos ao longo dos tempos.


Recorde para ficar de olho no futuro


Grêmio Oficial
Grêmio Oficial

Ontem, Grohe tornou-se o terceiro jogador do Grêmio a cruzar a barreira de 40 jogos disputados na Libertadores. O recorde absoluto ainda está longe, mas pode vir


- Mais jogos defendendo o Grêmio na Libertadores: Marcelo Grohe é o grande candidato a aniquilar todos os recordes individuais do clube na competição. Na atual Libertadores, ele já se tornou o gremista a entrar em campo em mais campanhas diferentes – sete no total (2009, 2011, 2013, 2014, 2016, 2017 e 2018), superando as seis de Danrlei e Roger (que atuaram juntos em 1995, 1996, 1997, 1998, 2002 e 2003). No entanto, como as três primeiras Libertadores em que Grohe jogou foram na condição de reserva, entrando apenas em eventuais lesões dos titulares Victor e Dida, ele ainda não conseguiu assumir a primeira posição no total de partidas. O próprio Roger Machado é o recordista com 57 jogos disputados, seguido por Danrlei, com 53 (a disparidade é culpa da suspensão que tirou o goleiro da maior parte da campanha em 2002). Marcelo Grohe não baterá esse recorde em 2018, mas pode recortar distâncias com uma campanha longa, e tem tudo para superar seus predecessores se voltarmos à Copa no futuro próximo. Hoje, ele é o terceiro colocado no ranking gremista de partidas disputadas, tendo chegado a 40 contra o Cerro Porteño. Na história, quem está imediatamente abaixo de Grohe é Goiano, com 38 partidas. Já no elenco atual, o segundo colocado é Luan, que disputou 29 jogos.