Empate e demissão: 2016 ainda não acabou no Internacional

Ricardo Duarte
Ricardo Duarte

Convicção no trabalho de Guto durou menos de seis meses: treinador foi demitido após o empate com o Vila Nova


2016 ainda não acabou no Internacional.


Quem, como eu, esperava uma mudança radical na forma de dirigir o clube após o rebaixamento para a Série B está bastante desapontado. Medeiros e Melo, apesar do discurso oposto ao da gestão anterior, repetem os mesmos equívocos de Piffero e Pellegrini. E fecham o ano com chave de ouro, demitindo Guto Ferreira faltando três rodadas para terminar o campeonato e apenas um ponto para confirmar a volta para a Série A. É absolutamente desalentador.


O Inter não aprendeu nada com a campanha que levou ao rebaixamento em 2016. E não aprenderá nada com a campanha na segunda divisão em 2017. O clube voltará à Série A sem ter entendido realmente o que é jogar a Série B porque nunca colocou os pés no chão. Venceu o Londrina na primeiro rodada e nunca mais desceu do salto. Mesmo diante das maiores dificuldades, nunca deixou de ser arrogante. Sempre manteve a soberba, como ficou claro na partida de hoje, quando parou de jogar após fazer um gol.


"A gente não quer colocar a culpa toda no treinador", disse Roberto Melo, após confirmar a demissão de Guto. Mas ele próprio, o diretor de futebol que contratou Antonio Carlos Zago para demiti-lo seis meses depois, que contratou Guto Ferreira para demiti-lo cinco meses depois e, principalmente, montou o atual grupo de jogadores, continuará. Isso faz algum sentido? "O Departamento de Futebol não sofre alterações", confirmou Marcelo Medeiros ainda na Zona Mista do Beira-Rio. Se, diante disso, demitir apenas a comissão técnica não for colocar toda a culpa no treinador, eu não entendo mais nada.


Repórteres presentes no estádio relataram que houve comemoração após o anúncio da demissão de Guto, evidenciando que Medeiros e Melo fizeram o que qualquer diretoria de clube faz quando se sentem pressionados: jogaram pra torcida. Nas últimas três rodadas da competição, o time será treinado por ODAIR HELLMANN. Será a VIGÉSIMA PRIMEIRA mudança na casamata colorada de 2010 para cá:


2010 - Jorge Fossati, Enderson Moreira (interino) e Celso Roth
2011 - Celso Roth, Falcão, Osmar Loss (interino) e Dorival Jr.
2012 - Dorival Jr., Fernandão e Osmar Loss (interino)
2013 - Dunga e Clemer (interino)
2014 - Abel Braga
2015 - Diego Aguirre, Odair Hellmann (interino) e Argel
2016 - Argel, Falcão, Celso Roth e Lisca
2017 - AC Zago, Odair Helmman (interino), Guto Ferreira e Odair Hellmann (interino)


Que os deuses do futebol ajudem o Sport Club Internacional.


ESPN.com.br | Após empate com o Vila Nova, Guto Ferreira é demitido do Internacional



#VamoInter
#NadaVaiNosSeparar
#ClubeDoPovo