'Iludômetro' nas alturas após a maior vitória do Inter no campeonato

É oficial: o iludômetro do torcedor colorado está praticamente explodindo. E é completamente justificável, já que a campanha do Inter no Campeonato Brasileiro é absurdamente acima de quaisquer expectativas de antes da competição, mesmo dos torcedores mais exaltados. Mais do que isso, a vitória de hoje na Arena Independência, que quebrou um tabu de quinze anos sem vitória no estádio americano, foi a mais importante e emblemática das nove conquistadas até aqui e recuperou a desastrosa derrota para o América-MG neste mesmo campo há algumas semanas.


E a vitória veio em condições completamente adversas: afora o tabu histórico e a força do Atlético nesse estádio, o jogo ainda esteve paralisado por duas vezes, uma por granizo e outra por falta de luz. Com uma dose de sorte que sempre acompanha aqueles que habitam a parte de cima da tabela, a terceira vitória como visitante veio e garantiu a terceira colocação isolada do Inter no certame nacional. 

Antes da partida, todo torcedor colorado estava com um misto de esperança, que eu já disse aqui mesmo que é o sentimento mais nocivo que existe na humanidade, e MEDO. Afinal, um tabu de 15 anos não se constrói de uma hora para outra e também não é destruído facilmente.


Quando rolou a redonda na relva do Horto, o Atlético fez o que faz de melhor e encarnou o Real Madrid em seus domínios, com alta intensidade e abafa na saída de bola. Acontece que estavam enfrentando o ATLÉTICO DE MADRID do Rio Grande do Sul, com a melhor defesa do mundo e talvez do universo, com sua dupla de zaga titular. Tudo bem, esse trecho pode ter sido exagerado, mas o fato é que a defesa do Inter mais uma vez esteve impecável e conseguiu parar o sempre perigoso time do Atlético, em Minas Gerais.


O primeiro tempo foi levado em banho-maria, sendo os destaques do Inter, além da dupla de zaga já citada indiretamente, a grande atuação de Rodrigo Dourado. Fabiano, como sempre, foi muito mal, assim como Jonatan Álvez, que nos fez ter saudades de Damião. O árbitro da partida não foi lá grandes coisas também, com alguns critérios meio confusos. Iago e Pottker poderiam ter sido expulsos com um juiz que não tivesse dormido muito bem à noite, assim como algumas faltas foram invertidas. 


Divulgação/Internacional




Divulgação/Internacional

Victor Cuesta em disputa de bola sob chuva torrencial


Já o segundo tempo foi completamente insano por tudo que aconteceu fora e dentro de campo. Quando o Inter começava a se animar no jogo, a chuva fina que caía em Belo Horizonte começava a se transformar numa TEMPESTADE DE GRANIZO, tão forte que interrompeu o jogo após uma pedra atingir a careca do árbitro e transformar o campo numa versão brasileira de um gramado de Premier League no inverno, com aspecto branco de neve.


Foram mais de 10 minutos de paralisação até que o jogo continuasse... por dois minutos, quando as luzes da Arena Independência se apagaram, interrompendo pela segunda vez o jogo por mais 10 minutos. Após a iluminação e São Pedro, este agente enviado por seu amigo São Paulo (ns), permitirem, o jogo voltou com o gramado encharcado, sem condições de grandes exibições técnicas. Quando Rossi entrou no lugar de Jonatan Alvez, jogando Pottker pra centroavância, o time passou a funcionar melhor e cresceu na partida, criando chances de gol.


Quando Nico López percebeu a desatenção da defesa atleticana, lançou um TELEGUIADO no peito de Patrick, o Pogba que toma mate, e este ajeitou com o peito pra Edenilson jogar para o fundo das redes de Victor e marcar o único tento do jogo. Depois disso, D'Alessandro entrou e não conseguiu fazer muita coisa, o menino maluquinho Luan acertou uma bola na trave que fez metade do Rio Grande do Sul ter parada cardíaca e Patrick encarnou Iarley no Mundial de Clubes para garantir a suada e espetacular vitória do Inter, a primeira do novo Independência. 


O time de Odair Hellmann mostra cada vez mais maturidade a medida que o campeonato avança. Além de consolidar a quebra de alguns históricos problemas, como a vitória na Vila Belmiro e a virada contra o Corinthians, quebrou outros, como o do Horto e o do Barradão. Ao término da competição será o primeiro treinador desde Abel Braga a começar e terminar o ano e com absoluta justiça.


E a tabela do segundo turno mostra que o Inter tem plenas condições de manter a boa campanha, pois dos seis primeiros colocados, tirando ele próprio, enfrenta todos os adversários no Beira-Rio, onde tem excelente aproveitamento no campeonato. Portanto, pontuando no jogo contra o Fluminense e vencendo o Paraná em casa, a perspectiva de futuro dos colorados pode ser extremamente animadora e positiva, seja para título ou para classificação na Libertadores da América, ainda mais se considerarmos que boa parte dos adversários têm suas atenções distribuídas em outras competições e o Inter apenas no Campeonato Brasileiro. 


A estrada é complicada. Mas com cada vez mais fantasmas exorcizados pelo caminho, talvez o tabu de não conquistar o Brasileirão desde 1979, o maior de todos os nossos, esteja próximo de acabar. Está permitido se iludir, e o iludômetro batendo níveis inimagináveis comprova isso.