A estranha primeira derrota da Inter

Divulgação/Internazionale
Divulgação/Internazionale

É, mister, não deu


Alegria de interista nos anos 2010 dura pouco mesmo. Uma semana depois da rodada perfeita, com o empate em Turim, liderança assegurada com o tropeço inesperado do Napoli, além dos vacilos de Roma e Lazio, a Inter viveu seu pior momento na temporada. Primeiro com a classificação apertada sobre o Pordenone na Coppa Italia em cobrança de pênalti decisiva de Nagatomo, depois com o fim da invencibilidade de 18 partidas e a queda para a terceira posição duas rodadas antes do fim do primeiro turno.


A partida desse sábado contra a Udinese é mais uma daquelas que marcam a pior década do clube. Mesmo vivendo ótimo momento e jogando muito bem, com grande volume de jogo, a equipe foi para o intervalo com um empate perigoso. Lasagna deu o recado em cochilo geral do sistema defensivo no primeiro gol, e Santon falhou novamente no pênalti que levou ao segundo. O terceiro, quando o time já tinha perdido a organização, apenas sentenciou a primeira derrota da temporada.


Divulgação/Internazionale
Divulgação/Internazionale

Icardi fez o seu, chegou ao top 10 da artilharia do clube, e Perisic teve duas chances, mas novamente a dupla deixou a desejar e dessa vez custou a primeira derrota no ano


Em meio ao ambiente alegre no San Siro com a festa natalina produzida antes da partida, abrindo a rodada e ainda sem a pressão dos concorrentes, a Inter tinha tudo para levar um jogo tranquilo e se preparar para o final do ano na primeira posição. Mas nada disso aconteceu e a Udinese, uma velha asa negra interista, que estava adormecida nos últimos confrontos - mais precisamente, desde aquele 5 a 2 no final de 2012/13 na despedida de Stramaccioni -, aproveitou para despertar. Não bastasse, Napoli e Juventus passaram e a Roma, que tem um jogo a menos, aproximou.


A ver como o grupo reagirá ao primeiro revés, que também expôs alguns problemas que a empolgação e espírito dos últimos meses estavam escondendo. O elenco de Spalletti é muito curto e faltam opções no banco de reservas, especialmente na parte criativa, enquanto Gagliardini, Karamoh e Éder pouco agregaram. Com o calendário folgado, isso não se torna um problema em nível físico e técnico, mas o jogo se torna previsível e mais simples de ser estudado pelo adversário.



A Inter é uma equipe construída com ideias, mas até agora avançou com coração, raça e sacrifício. As partidas que você não consegue vencer, deve pelo menos empatar. Foi pega desprevenida em um jogo difícil e servirá de experiência. O time ainda não tinha perdido porque é duro na queda. Hoje saiu atrás e logo conseguiu se recuperar, mas foi superado pela força física do adversário e o grupo não pode permitir jogar abaixo do ritmo assim.


- Lele Adani, ex-jogador da Inter e comentarista da Sky Sport Italia