Interistas: iludidos pela enésima vez

Divulgação/Internazionale
Divulgação/Internazionale

Dois meses depois, Icardi foi de herói a vilão no Derby della Madonnina. Como principal jogador e líder do time, o capitão e artilheiro deve ser cobrado sim depois de mais uma atuação apática


Não interessa se teve gol anulado, se perderam três chances claras, se Icardi foi um fantasma novamente ou se os jogadores não tiveram coragem. A Inter perdeu para o Milan. Perdeu também a única chance de ganhar um título que não vem há sete temporadas. Para o Milan. Para o pior Milan dos últimos, sei lá, 30 anos. Para um time que não tem treinador. Para o Milan.


Essa derrota fecha da pior maneira possível um dezembro tenebroso para um torcedor que estava confiante que 2017/18 seria diferente. Iludido mais uma vez. Não mudou nada, são os mesmos de 2016/17, de 2015/16, de 2014/15, de 2013/14, de 2012/13 e 2011/12. Cinco jogos sem vitórias, três derrotas seguidas e um gol marcado em 510 minutos: assim a Inter encerra o ano.


Divulgação/Internazionale
 Divulgação/Internazionale

É, careca, ninguém disse que seria fácil


E sim, tem como piorar. Tem a Lazio no próximo sábado. Tem a oportunidade de perder a posição no G4 construída e fortificada nos últimos meses, além de instaurar mais uma crise na Pinetina - se é que ela já não existe depois das últimas atuações. O argumento de que o time caiu fisicamente não desce de jeito nenhum, especialmente para um grupo que joga uma vez por semana e teve dois meses de preparação.


Não interessa se o elenco é curto e se falta reserva para Skriniar, Candreva, Perisic ou Icardi. A Inter está passando vergonha mais uma vez e não tem nada que justifique isso.