Inter: dois pesos e duas medidas no apito e derrota no campo

Divulgação/Internazionale
Divulgação/Internazionale


Mais um Derby d’Italia, mais uma arbitragem desastrosa liderada por Daniele Orsato. O veterano árbitro vicentino errou contra os dois lados, mas pela enésima vez a maior prejudicada foi a Inter. Quase todo dérbi é o mesmo cenário, independente se o jogo é no San Siro ou em Turim, há um critério para os nerazzurri e outro para os bianconeri.


Justa a revisão pelo vídeo para a expulsão de Vecino por uma entrada desproporcional em Mandzukic, assim como outra intervenção para invalidar o gol irregular de Matuidi. Mas se o árbitro de vídeo não pode ser utilizado para cartões amarelos, Orsato deveria estar atento ao jogo e seguir seu critério para punir Pjanic, já amarelado, que acertou Rafinha em duas ocasiões. E novamente nada aconteceu com Alex Sandro, Barzagli e Cuadrado. Skriniar também deveria ter sido expulso ao parar Higuaín no limite da área no final da partida.


Divulgação/Internazionale
Divulgação/Internazionale


Desabafo feito, importante destacar que a Inter perdeu o jogo no campo e, por mais que a arbitragem tenha vacilado, suas ações não determinaram diretamente o resultado final. Com um a menos, a equipe cresceu na adversidade e teve uma das exibições mais bonitas da temporada ao não apenas buscar a virada através dos gols de Icardi, em bola parada de Cancelo, e Barzagli, contra, após jogada de Perisic, mas também tomar o controle do jogo e pressionar o adversário.


Spalletti, brilhante desde o início do ano ao liderar um grupo frágil e contra todos os problemas internos do clube, e que deve seguir justamente independente do que acontecer em maio, mais uma vez pecou na gestão do final de uma partida. Santon já tinha prejudicado em outras ocasiões, e novamente sua entrada desequilibrou um setor que estava aguentando bem a pressão.


Divulgação/Internazionale
Divulgação/Internazionale


A ideia era aumentar a altura da defesa, mas ao deslocar D’Ambrosio para a direita e adiantar Cancelo, o treinador deixou o lado esquerdo exposto por um atleta que continuamente tem problemas de concentração quase sempre fatais. Dito e feito: com menos de um minuto depois da mudança, empate da Juventus nas costas do lateral. A virada veio na bola parada e através de outra falha de Santon, sempre mal posicionado.


São esses pequenos detalhes, esses velhos vícios, que continuamente afastam a Inter da Liga dos Campeões. Já são sete temporadas sem disputar a principal competição do futebol europeu e, faltando três rodadas, a diferença para Roma e Lazio é cruel: quatro pontos.


Os giallorossi têm Cagliari (fora), Juventus (casa) e Sassuolo (fora), os biancocelesti, sem o artilheiro Immobile, enfrentam Atalanta (casa), Crotone (fora) e Inter (casa), enquanto os nerazzurri, além do confronto direto na última rodada, encaram Udinese (fora) e Sassuolo (casa).