Lesão de Matuidi é um balde de água fria para a Juve

O resultado foi excelente: um sonoro 7 a 0 num Sassuolo em queda livre para continuar pressionando o Napoli – por fim, nada adiantou, pois a liderança seguiu com os partenopei ao fim da rodada. De qualquer forma, a péssima notícia foi dada na última segunda-feira (5): Blaise Matuidi precisa de 30 a 40 dias para se recuperar de uma lesão na coxa esquerda. É um novo quebra-cabeça que a Juventus precisa solucionar às vésperas da Liga dos Campeões.



Curta o Gazzebra no Facebook. Siga Murillo Moret no Twitter.



O francês conseguiu pegar uma vaga no meio de campo e não largou mais. A presença dele, juntamente com Sami Khedira, tem sido vital para equilibrar o setor e dar suporte a Miralem Pjanic. É nítido que Matuidi não é um primor técnico – mas também não esperamos que ele passe por meio time igual a Neymar, por exemplo –, contudo, o crescimento de produção do bianconero nos últimos meses de 2017 tem o nome dele nos créditos.


Getty Images
Getty Images

O jornal "Tuttosport" afirma que Marchisio está pronto para entrar na vaga disponível


No Allianz, Claudio Marchisio jogou quase 70 minutos substituindo o camisa 14. No começo, parecia um pouco fora de tempo: o tempo de reação era lento e posses foram perdidas porque ele não protegia a bola (teve um lance próximo a área juventina que terminou em chance de gol aos neroverdi). Ao fim do jogo, Principino deixou as impressões iniciais de lado até por conta da partida fácil. E o lançamento para Gonzalo Higuaín no sexto gol foi uma beleza…


Matuidi é somente mais um dos atletas entregues ao departamento médico neste ano de 2018 que começou movimentado. Antes, somente Benedikt Höwedes permanecia longos períodos na fisioterapia – ele atuar apenas alguns minutos em meia temporada –; agora Juan Cuadrado precisa passar por cirurgia, Daniele Rugani deixou a mesma partida da última rodada com suspeita de lesão, Douglas Costa corre para se recuperar a tempo da Liga (talvez fique entre os reservas contra a Fiorentina, na sexta-feira) e Paulo Dybala ainda precisa de mais uma semana antes de jogar de verdade.



Para o jogo de ida contra o Tottenham, a questão é se a Juve escala Marchisio ao lado de outros dois meio-campistas, como foi feito ante o Sassuolo. A amostragem para essa temporada é pequena, porém, talvez seja a melhor decisão que jogar com apenas Pjanic e Khedira. O bósnio e o alemão (ou Matuidi, testado em algumas oportunidades) não conseguiram tirar o maior rendimento de um time que, nestas alternativas, custava a criar chances.


Por outro lado, jogar com dois atletas à frente da defesa é a resposta para colocar Costa e Federico Bernardeschi para atacar em velocidade em qualquer investida. Ainda que o italiano saia atrás do brasileiro por uma eventual vaga, o ex-Fiorentina tem sido mais efetivo que jogado essencialmente bem: são cinco titularidades e quatro gols. A partida contra o Sassuolo foi um exemplo sintomático: errou uma barbaridade de finalizações, mas participou ativamente em dois tentos.


Não é impossível que o francês consiga atuar na volta contra o Tottenham, mas é improvável. O que não pode ser perdida é essa coesão que ele colocou ao time.