Juventus: o que diabos acontece com Khedira?

A temporada de Sami Khedira está bem diferente em relação à época passada. Os gols têm saído, mas parece que algo está errado. E dois jogos em fevereiro último foram bastante emblemáticos para com o desempenho do alemão: 23 passes em 153 minutos. Eis que sobe um estudo do Observatório do Futebol e o meio-campista está entre os melhores jogadores da posição no trimestre.



Curta o Gazzebra no Facebook. Siga Murillo Moret no Twitter.



Khedira somou 84,8 pontos entre os box-to-box, mesma pontuação de Dele Alli. A dupla ficou atrás de Christian Eriksen, Marek Hamsík, Ilkay Gundogan, Julian Draxler, Alex Oxlade-Chamberlain e Kevin de Bruyne. Os dados compilados foram de 26 de dezembro em diante, ou seja, partidas da Serie A contra Verona, Cagliari, Genoa, Chievo, Sassuolo, Fiorentina, Torino, Lazio, Udinese, Atalanta e Spal.


Getty Images
Getty Images

Khedira tem seis gols na atual temporada; na anterior, fez cinco


Nestes jogos, o visual se encontra com os números objetivos: o alemão está desarmando menos e tomando mais dribles (ou marcando pior), bloqueia menos e tem uma quantidade menor de passes em relação à temporada passada. Em resumo, Khedira tem poucos momentos de destaque.


A análise do Observatório do Futebol tem métodos distintos – e bem mais específicos. Ela é distribuída em seis categorias: finalização, criação de chances, dribles, recuperação, rigor e distribuição. Cada uma delas tem seus próprios desempenhos, como força física, tempo e concentração (em rigor); inteligência tática, consciência posicional e fôlego (em recuperação); e técnica e visão (em distribuição), por exemplo.


Todos esses fatores são levados em consideração para gerar uma nota de desempenho. Na temporada inteira, Khedira tem uma soma superior a de Blaise Matuidi – quem parecia que equilibrava o meio-campo da Juventus, fechando os espaços pela esquerda.


O que o alemão, então, faz para garantir uma vaga no ranking? Tudo e nada.


Reprodução
Reprodução

Khedira recua para fechar o passe de Fofana


Porque esta nota, por definição, explica o coletivo. Um exemplo pode ser a imagem acima, contra a Udinese. Seko Fofana tabelou com Ali Adnan para avançar até a entrada da área da Juventus. Ele estava pressionado por Mattia De Sciglio; tentou o chute e errou. Khedira se posicionou exatamente na direção da possibilidade de assistência para Antonin Barak, sem ninguém à frente. Não houve qualquer intervenção objetiva no lance – desarme, bloqueio ou interceptação. Mas a presença dele ali, naquele momento, freou a melhor opção dos friulanos no lance.


Ainda que o meio-campista tenha se destacado no estudo do CIES, desacredito na frase "Khedira faz uma boa temporada". Pois ele precisa de mais e a Juventus necessita de mais ainda.