Mercado aberto: quais são as opções da Juventus para reforçar o time?

Está aberta a época do frenesi, da histeria coletiva e da frustração para com uma diretoria que não vai satisfazer a vontade dos torcedores. Aqueles que seguem acreditando fria e fielmente que o início de uma nova temporada significa se desfazer de 15 jogadores para contratar uma leva nova – uma shopping spree, como se fosse Fifa.



Curta o Gazzebra no Facebook. Siga Murillo Moret no Twitter.



É necessário separar posições carentes de posições essenciais. Para a próxima temporada, a Juventus precisa de goleiro, lateral-direito e lateral-esquerdo. Quaisquer que sejam as escolhas, as vagas em aberto são estas – Gianluigi Buffon, Stephan Lichtsteiner e Kwadwo Asamoah deixam o time durante o verão.


Estatísticas não conseguem explicar, porém, ajudam a entender como determinados atletas têm atuado. A proposta deste texto é simplesmente mostrar os resultados dos jogadores especulados (e outros escolhidos de forma arbitrária, pois tiveram desempenhos similares) na Velha Senhora.


Goleiros


Contratado: Mattia Perin
Alternativas: Alex Meret, Nick Pope


Perin, de fato, já foi contratado após exames no JMedical (leia mais no ESPN.com.br). O negócio é excelente em um mercado inflacionado da posição: 15 milhões de euros em um arqueiro ainda promissor e potencialmente de carreira internacional longeva. O ex-Genoa é um dos melhores da geração dele apesar da justa dúvida acerca da condição física. Ele passou por cirurgia, há um ano, que comprometeu a velocidade de reação em determinadas situações – ao que tudo indica, ele já recuperou o nível.


Ainda que fosse Meret, Pope (que se destacou na Inglaterra) ou outro, quem chegasse para repor a vaga seria reserva, no primeiro momento, de Wojciech Szczesny. Só não seria em caso das contratações fantasiosas de Jan Oblak ou Thibaut Courtois. A terceira vaga segue em observação: fica Carlo Pinsoglio, mais experiente, ou retorna o também promissor Emil Audero?




Laterais


Especulados: Matteo Darmian, Santiago Arias, Filipe Luis
Alternativas: Álvaro Odriozola, Frédéric Guilbert, Alex Telles, Kevin Rodri, Alberto Moreno, Phillip Max


As laterais são um problema. É um problema nacional – De Silvestri e D’Ambrosio estão entre os melhores do último campeonato, e eles são De Silvestri e D’Ambrosio! – e continental. É difícil achar um bom lateral que, teoricamente, precisa fazer tudo bem. Desarmar e atacar. Cruzar e bloquear. Ter fôlego e acompanhar. É uma posição ingrata.


Observar Darmian, então, parece algo meio desconexo. A contratação do italiano faria sentido em 2013, por exemplo, e não hoje. Ainda que exista o interesse do Napoli, o Manchester United meio que já respondeu sobre a permanência dele ao fidelizar Antonio Valencia como titular e contratar o jovem Diogo Dalot. Leonardo Spinazzola, por e pelo outro lado, não atua desde março – quando já não era mais intocável – e precisou operar o joelho agora em maio. O tempo de recuperação pode ser de até seis meses, contudo, a principal dúvida é como ele vai se portar como um lateral, uma vez que o ponta foi adaptado para fazer a função de ala.


O 2017-18 de Odriozola foi expressivo, culminando com a vaga na Copa do Mundo, porém os dados mostram que Arias (do PSV, como lateral ofensivo) e Guilbert (do Caen, como defensivo) são alternativas interessantes dependendo do propósito da Juventus. Do outro lado, Filipe Luis é figurinha antiga entre os observados pelo clube, mas Telles, Max e Rodri não seriam acréscimos descartáveis.




Zagueiros


Especulados: Matthijs De Ligt, José Giménez
Alternativas: Diego Godin, Raul Silva


A temporada de acertos e erros garantiu, ao menos, contribuições muito boas de Giorgio Chiellini e Mehdi Benatia em momentos distintos. Se o marroquino não tem certeza se permanece em Turim, Andrea Barzagli garantiu o serviço por mais um ano. A chegada de Mattia Caldara é bem badalada, porém, ele mesmo afirmou que o nível que lhe será exigido é bem mais alto que da Atalanta.


Godin e Giménez são especulações corriqueiras porque o interesse é antigo - algo meio “São Paulo/Internacional quer Nilmar”. De Ligt apareceu pela primeira vez nos noticiários nesta janela e Silva, brasileiro do Braga, conquistou estatísticas valiosas numa temporada regular.




Meias


Favoritos: Dennis Praet, Emre Can
Especulados: Bryan Cristante (fechou com a Roma), Sergej Milinkovic-Savic, Marco Verratti, Isco, Mateo Kovacic, Adrien Rabiot
Alternativas: Dani Ceballos, Houssem Aouar


É, de novo, o setor que mais ferve no pós-temporada. Tudo bem que o negócio por Emre Can é tratado como certeza, mas novas entradas só devem acontecer em casos de saídas. Miralem Pjanic é observado por um, Sami Khedira por outro e Claudio Marchisio faz os olhos da MLS brilharem.


Os salários de Verratti, Isco e Kovacic são altos, entretanto, um deles conseguiria entrar na lista de pagamentos. Paul Pogba, porém, não – e por isso ele nem entrou nessa pesquisa.




Externos


Especulados: Anthony Martial, Federico Chiesa


Bem como na faixa central, a transferência de um atleta de lado é tratada como supérflua devido a quantidade de jogadores que desempenham tais funções no elenco: Juan Cuadrado, Marko Pjaca, Ricardo Orsolini, Mario Mandzukic, Federico Bernardeschi e Douglas Costa, recém-contratado em definitivo.


Anthony Martial, entretanto, seria um excelente acréscimo caso a Juventus consiga negociar os principais concorrentes – Mandzukic ou Cuadrado.




Atacantes


Especulados: Edinson Cavani, Alvaro Morata, Mauro Icardi


A novidade recente é uma troca surpreendente envolvendo Mauro Icardi e Gonzalo Higuaín. Fala-se também em usar o argentino para contratar Alvaro Morata de volta. Não importa quem ou se seja contratado, o atacante da Juve seguirá sofrendo em alguns pontos.


Abordei este tema em “Higuaín é o risco calculado para a Juve ser gigante”. Pipita foi o maior artilheiro de uma edição de Serie A desde a década de 50 porque o estilo de jogo do Napoli o favorecia – e a equipe atuava para ele. Mesmo que o partenopeo tenha comprado Milik para teoricamente exercer função semelhante, a lesão dele e a ascensão de Dries Mertens ajudou o time a adaptar e dividir as responsabilidades.


Nesse bianconero, que prioriza resultado ao estilo e equipe ao individual, é natural que Cavani, Icardi ou Robert Lewandowski tenham uma queda no número de gols, por exemplo. O interista, aliás, é um caso ainda mais grave. Pipita sempre foi um trabalhador incansável e com contribuição defesa/ataque latente. Icardi é o oposto: ele é o jogador que espera. Neste aspecto, Morata torna-se um substituto muito mais real que os outros (e com dados de expectativas de gols e assistências similares ou melhores que Higuaín em uma temporada desafortunada em Londres).