Benfica e o caminho de 1993

A Juventus enfrenta o Benfica, com o primeiro jogo em Portugal, na semifinal da Liga Europa. O caminho bianconero, assim, é traçado de uma maneira parecida com o último título da segunda competição continental mais importante. Na temporada de 1992-93, a Signora eliminou os portugueses da extinta Copa da Uefa antes de se sagrar campeã da Europa.


No confronto de ida, no Estádio da Luz, o Benfica venceu por 2 a 1. O primeiro gol foi muito bem trabalhado: Isaías recuperou a bola no meio de campo, Paneira tocou, Yuran devolveu de calcanhar e o camisa 7 chutou sem chances para Peruzzi, da entrada da área. A Juve chegou a empatar com Vialli, de pênalti, mas no fim da partida viu Paneira marcar novamente. Carrera saiu jogando mal, Isaías driblou Torricelli e cruzou para mais um tento do Benfica. 



Ambos os gols portugueses saíram em jogadas rápidas de ataque. (Alguma semelhança com os tentos sofridos pela equipe atual?)


No Delle Alpi, a Signora reverteu a situação e se classificou à semifinal da Uefa ao vencer por 3 a 0. Kohler fez o primeiro, após escanteio; os benfiquistas chiaram bastante com a arbitragem, uma vez que, no lance, Dino Baggio e Silvino se chocaram. O goleiro teve de ser substituído aos dois minutos de jogo. Dino, após mais um tiro de canto, ampliou a vantagem. Na etapa final, Ravanelli, que entrou no lugar de Moeller, machucado, precisou de 60 segundos para deixar sua marca. 



Retrospecto negativo


Só que o retrospecto da Juve contra o Benfica não é bom. São três derrotas em quatro partidas.


O time bianconero perdeu duas vezes para os portugueses (os vice-campeões) na semifinal da Copa dos Campeões de 1967-68. Depois de avançar com um jogo replay ante o Eintracht Braunschweig, a Juve caiu com um 2 a 0, na Luz, e 1 a 0, no Stadio Comunale. Eusébio, claro, marcou dois gols. 


Não tem problema


Não me importaria se acontecesse um jogo - e um gol - igual ao de Ibrahimovic no amistoso disputado no Estádio da Luz, na pré-temporada de 2005-06. 


Fino alla fine