Eu quero meu rival de volta. Milan virou uma piada

Em Turim, os últimos dias têm sido tumultuados. Fora de campo, a Juventus batalha contra o presidente da Lazio, Claudio Lotito, após os recentes comentários ofensivos a clubes da segunda divisão e aos presidentes da Serie A e B. Na última semana, o presidente bianconero, Andrea Agnelli, e o vice-presidente do Milan, Adriano Galliani, trocaram farpas depois do clássico vencido pela líder do Campeonato Italiano.


A Juventus não precisava responder, mas verificou que o rival é somente uma sombra de outrora.


Na partida, Tévez abriu a contagem com um gol aos 14 minutos (veja o vídeo no ESPN.com.br). O tento saiu em contra-ataque iniciado por Morata e, sim, parecia bastante que o argentino estava impedido no lance. Depois, notou-se que o posicionamento do defensor rossonero dava condições (ainda que no limite) para Tévez rumar na direção do gol defendido por Diego López.


O Twitter oficial do Milan divulgou uma imagem da Sky Sport Italia com o comentário: "Essas duas linhas produzidas pela TV da Juventus parecem paralelas? Achamos que não". O diretor-geral do gigante adormecido declarou ao jornal Corriere della Sera que a produção de imagens dos jogos da Juve em Turim são produzidas pela própria agremiação.




O Milan, obviamente, foi ridicularizado nas redes sociais. O comentarista da Sky, Fabio Caressa, declarou que o operador de câmera que estava na arena era um empregado da emissora, e não da Juventus. Ele ainda foi bastante calmo e didático para explicar a Galliani como a imagem foi construída. "Acabei de explicar a minha filha, que está na escola primária, logo, não é difícil de entender o que é perspectiva. É geometria básica", disse.


Agnelli também deu aquela espinafrada no Milan em nota oficial, afirmando que "o vice-presidente do Milan e vice-presidente da Lega Serie A resolveu rever duas antigas paixões dele: televisão e geometria". Horas mais tarde, Milan soltou uma nota oficial dizendo que "arrogância é uma marca da Juventus" e que a resposta bianconera "destruía qualquer chance de discutir e debater reformas baseadas nas imagens" do clássico.


Que imagem? Aquela da geometria desmistificada por Galliani?


A Sky Italia deu cinco minutos de debate sobre a perspectiva matemática. Outro empresa televisiva que sofreu ataques do Milan foi a Mediaset que, coincidentemente, tem Silvio Berlusconi como dono. As duas maiores produtoras de TV da Itália, portanto, refutaram as alegações absurdas do vice-presidente milanista.


O clube da Lombardia não quis outra coisa além de distrair os torcedores de mais uma derrota patética que o Milan sofreu, corroborando a citação de Caressa - "estou surpreso que o Milan não sabe que as imagens não são escolhidas pelas agremiações; talvez seja uma distração".


Getty Images
Getty Images

Honda lamenta mais uma derrota do Milan; japonês foi uma das principais contratações d o gigante adormecido nas últimas temporadas


Basicamente, o Milan tem manufaturado controvérsias para criar uma imagem que o clube tem sido prejudicado. Assim, o próprio rossonero coloca uma venda nos torcedores e os impossibilitam de ver que não existe dinheiro nem estratégia do lado vermelho de Milão.


Se Galliani foi o responsável por montar esquadrões impressionantes entre as décadas de 1980 e 2000, os últimos quatro anos do Milan foram sofríveis. A reestruturação rossonera passou pela dispensa de medalhões e venda dos jogadores com contratos polpudos. Desde o último título italiano, em 2011, Gattuso, Nesta, Pirlo, Ambrosini, Thiago Silva, Cassano, Borriello e Pato foram negociados. Quais são os craques que conseguirão salvar o rossonero? Antonelli? Paletta? Rami? Essien?


O Milan caminha a passos largos para se tornar apenas um clube provinciano. Quero meu rival de volta.


_


Curtas


Getty Images
Getty Images

Buffon até defendeu, mas a bola já tinha passado a linha do gol


Recentemente, a única briga que o Milan tinha razão foi em 2012, quando Muntari teve um gol legal anulado no San Siro. Partida comandada por Paolo Tagliavento acabou em 1 a 1.


Marotta quer entrar na Justiça contra Lotito. O presidente da Lazio afirmou que Maurizio Beretta, presidente da Serie A, e Andrea Abodi, da B, não trabalham e ainda chamou Abodi de "cretino". Em conversa com Pino Iodice, diretor de futebol do Ischia, da terceira divisão, Lobito também declarou que as TVs teriam de se recusar a pagar direitos a Carpi, Frosinone ou Latina em caso de promoção à elite do futebol italiano - porque esses clubes não são um atrativo.


Maurizio Zamparini, presidente do Palermo, disse que Marotta foi influenciado pelos líderes da Juventus. O diretor-geral da Juventus deseja frear as atitudes "feudais" do braço direito de Carlo Tavecchio, presidente da Federação Italiana.


Feudal do mesmo modo de Arrigo Sacchi declarando que "existem muitos negros na base" da Itália. E que isso não é "motivo de orgulho ou dignidade".