Juventus foi somente mais um na carreira de Vidal

Assim como tantos outros jogadores, Vidal mudou de clube e fez média para agradar gregos, troianos, alemães e italianos. O chileno quis sair por cima de uma transferência que ainda não foi inteiramente desvendada.


Aos seguidores das redes sociais, postou uma mensagem mequetrefe dizendo que o Bayern era um passo adiante na carreira dele e que era muito difícil mudar de time exatamente quando o outro proporcionou tanta felicidade a ele.


Getty Images
Getty Images

Vidal rebaixou a Juventus para enaltecer o Bayern durante a apresentação desta terça-feira


Quatro anos, 72% de aproveitamento - o maior pela Serie A desde 1994-95 - e zero comentário a respeito de quem estava lá todos os dias: comissão técnica. Aqueles que o blindaram em momentos bons e ruins; aqueles que ajudaram ou tentaram contribuir com algumas burradas também. Do mesmo modo, nenhum comentário acerca dos jogadores que permaneceram no Piemonte.


Na apresentação em Munique, a chuva de média com o novo clube.



"Queria dar um grande passo na minha carreira. Eu queria crescer como jogador e ganhar títulos importantes, como a Liga dos Campeões. Penso que tenho uma boa chance de fazer isso exatamente com o Bayern".


"É um sonho chegar ao Bayern".


"Escolhi a Juve em 2011 por mim e pela minha família. Agora estou pronto. Tenho a experiência necessária para jogar em um clube como o Bayern".


"O Bayern é um dos três maiores clubes do mundo".



Sim, pois o Bayern foi mesmo à final da última competição europeia, não é mesmo?


Hoje, Vidal falou besteira. E das grandes. Para enaltecer a chegada ao Bayern, desmereceu a Juventus, como se fosse um clube provinciano, um trampolim. Dia desses, Eto'o deixou a Sampdoria e fez do clube apenas mais um na carreira dele. Tanto faz como tanto fez; copiando e colando uma nota oficial de adeus.


Khedira venceu a Liga com o Real Madrid. Foi apresentado em Turim dizendo que gostaria apenas de conquistar novamente. Não precisou diminuir (até porque é difícil) os merengues para elevar o espírito bianconero. Foi profissional.


Nem todos os jogadores precisam ser como Nedved, que recusou o convite de José Mourinho para jogar pela Inter, em 2009, e vencer uma Liga dos Campeões.



"Amo a Juventus demais. Não poderia jogar no rival que construiu o sucesso exatamente no nosso declínio. Não digo isso como fã, mas como jogador profissional. Dizer 'não' a Inter foi a decisão correta".



Os atletas costumam se cercar de uma equipe de pessoas para evitar falar bobagem. Válido. Às vezes é necessário mesmo. Mas ter opinião é diferente de falar besteira. Ter um posicionamento, por tantas outras vezes, faz-se imprescindível.


Retiro o que falei no último texto sobre a integridade de Vidal. Pode ter sido quatro anos de mentira; quatro temporadas que foram convenientes ao chileno.


Divulgação/Juventus
Divulgação/Juventus

Storari compareceu ao treino dos reservas para torcer por Barzagli, que retornava de lesão. Atitude simples e nobre


Dos ex-titulares, em campo, talvez Vidal faça mais falta se comparado a Pirlo. Fora, o ex-camisa 23 será menos sentido que Simone Pepe ou Marco Storari. A dupla talvez nunca tenha o devido merecimento do que fez em meia década em Turim.


Não retiro, entretanto, sobre a aceitação da venda do chileno. Depois dessa, tchau e bença mesmo.