Aconteceu algo bem triste em Manchester

Numa saída de bola, Sturaro tentou cavar uma falta em cima de Yaya Touré é claramente o árbitro não foi na dele. O meio-campista caiu no gramado e veio ele, o temor.


Nos jogos iniciais do Italiano, erros bobos contribuíram para a conquista de apenas um ponto em nove disputados. Quando Sturaro decidiu descansar no primeiro quarto da partida, ele viu Sterling parar em Buffon.


ESPN.com.br | Peso da tradição: Juve supera juiz, vence de virada e mantém 'sina' do City na Champions


O ritmo dessa Juventus não fora visto nem na estreia da temporada, na Supercoppa. Sem bola, o 4-5-1 travou qualquer chance pensada com Nasri, Kolarov e Silva pelas laterais. Não foi dessa vez que os ponteiros encerraram a carreira de Evra e Lichtsteiner.


Se Sturaro entregou uma chance de bandeja, Evra quis dividir as honras com um passe completamente equivocado. Sorte é que o pé esquerdo de Bony serve apenas para subir no ônibus.


Getty Images
Getty Images

Agora começou de verdade


Estava faltando aquela apresentação digna de 100 e tantos milhões de euros de Pogba. O cruzamento de Cuadrado que terminou em gol do francês não adiantou muito, visto que o impedimento foi erroneamente assinalado. A arbitragem, esta impiedosa, ainda tratou de validar o gol contra de Chiellini.


Com (Udinese e Chievo) ou sem (Roma) bola, a Juventus teve uma visível dificuldade em jogar. O City, por sua vez, deu muito mais liberdade que os outros três adversários. Numa dessas, Pogba achou Mandzukic com um lançamento incrível atrás da defesa. Ainda teve o belíssimo gol de Morata, de fora da área. Que chute magnífico.


Não somente o resultado foi excelente. A forma que a Juventus conseguiu a vitória mostrou para si mesma que dá para sair de resultados adversos sem Pirlo, Vidal ou Tévez. Que a reconstrução pode partir com essa tática, com Cuadrado e Morata abertos - nem que para isso tenha de deixar Dybala na reserva, o único jogador lúcido da Signora no campeonato nacional.