Juventus: o time mais inefetivo do continente?

Não está sendo fácil, caros. Empatar no último minuto contra o Frosinone, em casa, após vencer Manchester City e Genoa, é dilacerante. Torturante porque o lanterna acertou uma finalização, a Juventus criou 33 chances e provou que seu ataque está entre os mais ineficientes da Europa.


A Juve é o time que mais chutou na temporada europeia - entre as cinco grandes ligas do continente. No campeonato nacional, a média está em 21,2 finalizações por partida. Levando em consideração os 98 clubes presentes nestas competições, a Senhora está na 22ª colocação em remates certos, com 5.


Por um lado, somente três equipes atacaram a Juve de forma expressiva na temporada - Lazio, Roma e Manchester City. Somente o último, na Liga dos Campeões, deu realmente espaços para os bianconeros jogarem. Enfrentar defesas fechadas não pode ser desculpa para tudo, pois a equipe tem criado oportunidades. Em sete partidas, a equipe chutou 122 vezes, mas o aproveitamento está pouco acima de 27%.


Getty Images
Getty Images

Zaza acertou apenas uma finalização contra o Frosinone: gol


No outro córner, times que estão na casa das 20 finalizações totais, como Real Madrid e Bayern de Munique, lideram em certas; Manchester City e Arsenal vêm logo atrás com, no mínimo, 7 remates corretos por jogo.


Não acredito que o resultado desta quarta-feira, contra o Frosinone, fosse diferente com Mandzukic e Morata. Exceto Dybala (e com ressalvas), o elenco da Juve está temendo o gol. Esse é o adjetivo correto: é medo. Cuadrado está jogando bem, porém, ainda não conseguiu balançar a rede. Nesta rodada, perdeu chance na pequena área.


Zaza fez a primeira boa partida da época - mesmo com um voleio tosco no primeiro tempo, em uma das 33 oportunidades criadas. Só não pode colocar o empate na conta dele porque Pogba, Pereyra, Dybala, Hernanes e Bonucci também falharam em acertar o gol defendido por Leali.


Por enquanto, o nove é o número da Juventus. Alex Sandro liderou a equipe em passes-chave na partida, exatamente com nove. Na temporada, o time soma 96 oportunidades de gol, com o super-substituto Pereyra na 9ª colocação entre os principais assistentes da Europa.


Perder Tévez e Vidal não seria complicado caso a reconstrução do time e as vitórias fossem conquistadas de forma mais simples. A eficiência dos dois, porém, faz falta.


Isso tem de passar.