Liverpool: um time de 11 Cans em campo

Você pode achar que estou pegando no pé do alemão-turco-galã-de-novela-mexicana. Mas não é. Ontem ele nem foi tããããããão horroroso assim. Foi só horroroso. Mas ele é hoje, no meu modo de entender, o símbolo do time do Liverpool, o Maior da Inglaterra: transpiração em vez de inspiração.


Muita raça, muita disposição física, muita vontade de vencer.
Mas pouca qualidade. Pouca inteligência tática. Pouca magia de futebol.


Sei que nosso mago Coutinho ainda está voltando do estaleiro. Que vai levar um tempo para voltar a fazer suas peripécias. Mas o time só depende dele? Vemos um Milner brigando forte em todas as divididas, com um apetite inigualável. Vemos Lallana correndo trocentos quilômetros por jogo, se matando por todas as bolas como um prato de comida. Vemos Can roubando bolas o tempo todo (viu como não é pegação de pé?). Mas vemos também o time em 90% do tempo trocando passes de forma INSOSSA, sem conseguir infiltrar. Porque falta o drible. O 1 contra 1. Falta o "plus a mais".


Só temos um cara decisivo no time? Não é 100% verdade. Firmino e Stu são habilidosos. Mas parece que falta confiança. Lallana é o único que tenta uma traquinagem maior, em direção ao gol. Os outros, só correria.


Entendam: força de vontade, no futebol e na vida, é absolutamente crucial. Não se consegue nada sem isso. Mas talento responde também por uma parcela significativa de sucesso em qualquer atividade realizada.


Depois da filosofia, olhamos para o nosso banco. Jogo 0x0 contra os Saints. Precisamos de algo diferente! Precisamos de um gol! Quem poderia entrar no jogo e fazer isso? O Can Holandês (Wijnaldum) e o Can Belga (Origi). Estamos mortos…


Getty Images
Getty Images

Os Cans: SHOWtinho tenta escapar do abraço do alemão... Seria medo do 'Vírus Can'?


E o maldito mercado aberto. Klopp disse que não tem nada que queremos que possa vir agora. Disse que está com dificuldade em contratar. Daí, olho as notícias das transferências: Subotic (melhor que o Klavan) para o Colonia. Memphis (melhor que o Origi) para o Marselhe (Evra também foi, mas é ex-United). Ramos (ex-BVB) para o Granada. Nem vou falar do PSG que trouxe Gonçalo Guedes e Draxler. O Liverpool está com dificuldades porque tentou o Messi? O CR7? Daí fica difícil, mesmo.


Ainda há mais um agravante na fase negra que estamos vivendo. A falta de sorte. Sabe o Sobrenatural de Almeida? O lance do chute do Can (ele de novo), ontem, uma pedrada, em que o goleiro salva a bola a milímetros do gol, com um tapa que faz a pelota passar a centímetros de Sturridge que chegava no rebote. Ou as várias vezes que o dançarino preguiçoso esteve livre para marcar e falhou miseravelmente. Nós, torcedores, e Klopp sempre enfatizamos isso, sabemos que o camisa 15 não precisa de tantas oportunidades para botar a bola para dentro. Vimos Lallana tentando 4 vezes em um mesmo lance contra o Swansea, no final de semana, quando o jogo ainda estava 2x2. Sem sucesso. Sem sorte.


O que sei é que preciso parar de sofrer tanto pelo time Vermelho. Não sei como. Mas, de novo, estaguei o resto do meu dia ontem, com a eliminação da Copa da Liga Inglesa para o Southampton. Como aconteceu no empatete patético contra o Sunderland. E na derrota vergonhosa para o Swansea em Anfield (já são 2 derrotas seguidas em casa…). E daí se íamos perder para o United a final? Eu queria tanto ir a Wembley…


Era pedir muito?