O velho Liverpool

Confessa, vai. Estava com saudades. Do Velho Liverpool. Daquela derrapada familiar. A boa e velha entregada de paçoca. Que não víamos desde... a derrota patética para o West Brom no Anfield pela Copa da Inglaterra na temporada passada. O West Brom veio a cair na Premier, depois...



Já disse outras vezes que esse Liverpool “novo”, do Robertson, do Salah, do Van Dijk é diferente. Um time aguerrido e buscando sempre a vitória. Vai perder algumas vezes, é do jogo. Mas tem uma vibe diferente.


Ontem, jogou o Liverpool “velho”. O do Lallana. Do Sturridge. Até do Origi (acredita?). Daí veio aquela lembrança daquele time frouxo. Que não ganhava de ninguém. Que tinha leite desnatado correndo nas veias. Que, lógico, não aguentou a pressão de jogar no Marakana do Estrela Vermelha e sucumbiu ao time sérvio de forma patética e inesperada.


Erro grave de planejamento no meu modo de entender. Num jogo físico, Lallana e Sturridge não tem punch para ficar nem no banco. Ontem era jogo pro Ox (#sdds, sei que ele tá bichado), pro Henderson, pro Lovren, e sim, pro Shaqiri. Gente, o Lallana parece que é de outra época. Joga o futebol dos anos 80. Tem a vitalidade do Paulo Henrique Ganso. E nem a qualidade do meia brasileiro o inglês consegue ter. Sei que Klopp quis preservar Shaqiri por questões políticas, mas ele fez muita falta ontem. E o alemão, no meu modo de entender, escalou um Liverpool sem sangue nos olhos num jogo onde tínhamos que ser mais homens que eles, e sobreviver ao caldeirão deles. Pode soar um pouco pretencioso, mas se igualássemos a vontade sérvia, nosso talento faria a diferença a nosso favor...


Getty Images
Getty Images

Klopp: Só faltou escalar o Moreno e o Mignolet...


Nesse Liverpool com estigma de Loserpool, Daniel Sturridge perdeu uma chance clara dentro da pequena área, na primeira pontada do Liverpool. Gol que não pode perder. Tem que dar uma cacetada na bola e guardar. Sério. Firme. Decisivo.


No “novo” Liverpool, um marcador nunca deixaria o centroavante adversário sozinho para cabecear num escanteio. Lallana, displicente, estendeu o tapete vermelho para o grandalhão sérvio testar no canto e fazer 1x0, explodindo o estádio estrelado. VVD passou um sermão no meia, mas não adiantou nada, já que alguns minutos depois, o mesmo Lallana errou um passe infantil no meio de campo, e o mesmo Pavkov tirou Wijnaldum da bola com o corpo (parecia um adulto e uma criança disputando a bola) e acertou uma tijolada no ângulo de um adiantado Alisson. 2x0. Incrédulo, do meu trabalho, via os 3 pontos que já estavam nos bolsos vermelhos fugirem por entre os dedos. E a classificação ao mata-mata da Champions ficar seriamente ameaçada. No segundo tempo, voltamos mais focados, mais adultos, mas não teve jeito. Salah tentou e parou no goleiro e na trave.


Getty Images
Getty Images

Salah: ao menos ele tentou...


E agora?


Se a gente vai assim, com cara de derrotado, para Paris no fim do mês, tomaremos uma taca histórica do time do MBappé e do Neymar. E, sinceramente, não estamos jogando bola para matar o esse Napoli do Ancelotti no Anfield dia 11 de Dezembro, na última rodada. Ou seja, Europa League a vista.


E o pior será perder para o Arsenal ou pro Chelsea na Europa League, afinal, não ganhamos mais jogos grandes, lembram?


Você, torcedor triste como eu, quer mais passar essa vergonha no débito ou no crédito?


#YNWA #VemNiMimEuropaLeague


Venha participar do abaixo assinado para doação do Lallana na Liverpool FC Brasil!