Will Grigg is on fire e o City está fora da Copa da Inglaterra

Três jogos de FA Cup contra o Wigan nos últimos cinco anos, três derrotas. Final em 2013, quartas-de-final em 2014 e agora em 2018, eliminação na fase de oitavas. Em todos esses três jogos o City entrou em campo para enfrentar o Wigan como franco favorito e mesmo assim saiu derrotado.


ESPN.com.br | Manchester City é eliminado por time da 3ª divisão na FA Cup


Freguesia? Se considerarmos apenas a FA Cup, talvez. Num contexto mais amplo, não é o caso. No entanto, a mensagem que fica é que não existe jogo onde já se entra com o resultado garantido.


O City levava tão a sério a possibilidade de conquistar os quatro títulos possíveis nessa temporada que colocou o melhor onze inicial possível em campo nesta segunda-feira. Isso, claro, levando em conta a necessidade de descansar alguns dos jogadores mais importantes como Otamendi, De Bruyne e Sterling.


Com David Silva e Gündogan como homens de criação no meio de campo, a qualidade estava ali, mas aquela jogada criada em velocidade que tanto se vê com De Bruyne estava fazendo falta. Ainda assim, o City dominou não só o primeiro tempo como o jogo como um todo.


Mais posse de bola, mais finalizações. Tudo aquilo que a gente já está acostumado a ver em qualquer jogo do City. Há de se destacar, porém, a quantidade de chutes bloqueados pelos defensores do Wigan antes mesmo de chegar à meta de Walton. Levar isso em consideração é reconhecer o mérito dos donos da casa, que jogaram para resistir os 90 minutos e tentar vencer o jogo em uma bola. E foi exatamente o que aconteceu.


No segundo tempo, o City permitiu que o Wigan chegasse apenas uma vez ao gol de Bravo. Nessa única oportunidade, Grigg anotou o tento que garantiu a classificação ao Wigan.



Curta o Manchester Connection no Facebook



É claro que podemos nos perguntar se Walker não deveria ter entrado de maneira firme para dominar a bola ou discutir se o cartão vermelho dado a Delph foi justo e determinante para o resultado final. Contudo, apontar dedos e procurar responsáveis parece algo leviano a se fazer. Quando ganha, ganha todo mundo. Quando perde, também.


O City não fez uma partida brilhante, mas poderia ter saído vencedor se o futebol seguisse a lógica. Contudo, eis algo importante: não segue. O imponderável proporciona situações como a que se viu hoje. De certa forma, é uma das grandes graças do esporte.


Getty
Getty

Uma bola


Mas como tudo tem seu lado ruim, resultados como o de hoje permitem que oportunistas de toda sorte saiam de suas tocas sedentos para tentar diminuir todo um trabalho feito ao longo dos últimos meses, onde o resultado é previsível: Guardiola pagando o preço por ser Guardiola.


De qualquer modo, por mais incrível que pareça, há um lado bom na derrota de hoje para o Wigan. Ver o City perder nessa temporada é algo raro, quando acontece para um time da terceira divisão, raríssimo. Item de colecionador. O resultado de hoje pode (e deve) ser colocado na conta de pontos fora da curva.


O fato do City não estar mais vivo nas quatro competições que disputa causar certo choque só faz mostrar o quão grande tem sido a atual temporada desse time.


Siga @javierfreitas