Em Wembley, o City fez o que se esperava dele nos últimos dias

Getty
Getty

Pep, conta pra gente quantas vitórias faltam


A pior semana do City na temporada parece ter mesmo chegado ao fim. Neste sábado (14), o time foi até o Wembley enfrentar o Tottenham e vai voltar para Manchester com os três pontos na bagagem e dependendo apenas das próprias forças contra o Swansea no próximo domingo (22) para garantir o título da Premier League graças à vitória por 3 a 1, com gols de Gabriel Jesus, Gündogan e Sterling.


É até verdade que há a possibilidade do título ser confirmado já neste fim de semana, mas isso depende de uma improvável vitória do virtual rebaixado West Bromwich contra o United dentro de Old Trafford. Além disso, vencer o título no campo é muito melhor do que no sofá.


ESPN.com.br | City vence Tottenham com gol de Jesus e pode ser campeão da Premier League neste domingo


Quanto ao jogo em si, tudo o que se viu do City nos primeiros minutos do jogo de hoje, era tudo o que a torcida esperava ver nos jogos contra United e Liverpool nos últimos dias: muita intensidade e vontade de construir uma boa vantagem no placar tão cedo quanto fosse possível.


Com menos de 25 minutos, o City já tinha 2 a 0 no placar e foi algo realmente prazeroso ver o time buscando o terceiro gol. A lição do jogo contra o United pareceu ter sido aprendida.


Não teve como esquecer do Derby quando o Tottenham diminuiu ainda no primeiro tempo com Harry Kane Eriksen. Até mesmo porque, imediatamente após diminuir a desvantagem, o Tottenham fez aquilo que sabe de melhor: colocou pressão.



Curta o Manchester Connection no Facebook



No segundo tempo, não haveria como ser diferente: o Tottenham partiu pra cima pra tentar buscar o empate e capitalizar em cima da fase do City.


Por outro lado, à medida que o time de Pochettino se lançava ao ataque, mais espaços eram criados na defesa do Tottenham, que, verdade seja dita, estava longe de ter um de seus melhores dias. Tanto Gabriel Jesus quanto Sterling, que passou a jogar como homem de referência após a saída do brasileiro, encontraram muita liberdade por entre os zagueiros dos Spurs – especialmente em bolas longas vindas do campo de defesa.


Sterling já havia perdido algumas boas oportunidades de marcar, mas coube também ao camisa 7 liquidar a fatura e coibir qualquer ímpeto que os donos da casa pudessem ter em reverter o resultado.


Coletivamente, foi uma grande atuação quando assim o time precisou se apresentar. Talvez à exceção de Kompany, que fez uma partida irretocável, todos os outros fizeram o necessário e passaram pela média.


De resto, que venha o Swansea.


Siga @javierfreitas