Riyad Mahrez chega ao City sem badalação, mas será chave

Demorou, mas o Manchester City finalmente conseguiu fechar sua primeira contratação para a temporada 2018/2019. Parecia que esse nome seria Jorginho, que acabou virando uma novela absurda, mas o primeiro jogador a chegar para ser comandado por Pep Guardiola é Riyad Mahrez.


Em janeiro, City perseguia Alexis Sanchez, mas perdeu para o rival United. No mesmo período, Sané sofreu lesão no tornozelo. Por esses acontecimentos, Guardiola fez uma tentativa tardia nos últimos dois dias daquela janela por Mahrez, mas não obteve sucesso. Na ocasião, o argelino chegou a pedir formalmente para ser negociado, demonstrando muita vontade de jogar no City. Esse desejo do jogador certamente agradou Guardiola, que o colocou no topo de prioridades para 18/19, quando o City poderia tentar novos nomes. Enfim, o final da novela é feliz: Riyad Mahrez enfim deixa o Leicester para jogar em um clube do top 6 da Premier League.


Apesar de já ter Raheem Sterling, Leroy Sané e Bernardo Silva como opções para as beiradas, Mahrez não chega como uma peça de luxo, mas sim para cobrir uma necessidade antiga do City. Após a primeira temporada de Guardiola, Jesus Navas, Nolito e Iheanacho saíram, mas apenas Bernardo Silva e Gabriel Jesus chegaram – faltava um nome para deixar o elenco totalmente encorpado e sentimos isso em alguns momentos da temporada seguinte.
Sané se lesionou e Bernardo e Sterling tinham que jogar todas as partidas, com Brahim, ainda cru, sendo a única opção de frente no banco de reservas. Agora, se for uma intenção de Guardiola, pode se concentrar mais no projeto de transformar Bernardo Silva em meio-campista, em uma passagem de bastão com David Silva.


Enfim, vamos ao que interessa: o que Riyad Mahrez pode acrescentar ao City, sendo que o sistema “original” atualmente utilizado por Guardiola usa, em geral, pontas ao pé natural (destros na direita e canhotos na esquerda, excessão aos jogos com Bernardo)? Então, acredito que a contratação de Mahrez esteja sendo tremendamente subestimada. Por melhor que Sterling e Sané sejam, não podemos esquecer que é um jogador que foi considerado o melhor da Premier League poucos anos atrás. É o único atleta que, nos últimos três anos, conseguiu superar 10 gols e 10 assistências no mesmo campeonato em duas oportunidades.


Getty Images
Getty Images

Riyad Mahrez chega para fazer impacto imediato


Mahrez é o pacote completo: tem drible, tem criação, tem iniciativa e recursos para superar adversários em diferentes alturas do campo, tem finalização e não é fominha. Se precisar cumprir à risca uma determinada função tática, também não será problema – além de que aceitará rotações com Sané e Sterling.


Mahrez continuou em evolução após a temporada do histórico título do Leicester. Com Claudio Puel, em 17/18, foi um jogador com muito peso e liberdade para agir na saída de bola da equipe. Trabalha muito bem com aproximações pelo lado direito e não vejo motivo para não ver um argelino fazendo uma tremenda dupla com Kevin De Bruyne por ali. A questão é ver quais limitações e liberdades serão dadas por Guardiola dentro do sistema que será utilizado pelo City.


Hoje, as jogadas do City pela direita são mais simples e diretas. Sterling, De Bruyne e Walker trocam passes de forma mais rápidas para atrair o jogo por ali e depois virar para o lado esquerdo com mais espaço para Sané. Mahrez é um jogador que irá oferecer mais jogadas individuais e associações por dentro, mas sem pisar tanto na área para finalizações finais como Sterling.


Bernardo Silva precisou de tempo para se adaptar, pois oferece coisas diferentes. É um armador que joga desde a ponta, o que alterava vários outros mecanismos da equipe. Com Mahrez não será diferente, mas vejo ele encaixando mais rapidamente pois é um jogador que, ao contrário de Bernardo, oferece agressividade no último terço do campo, como Guardiola precisa.


13 gols e 10 assistências para Mahrez na última temporada, em uma equipe que apenas na segunda parte da temporada se encontrou coletivamente. Chega ao City aos 27 anos e tem sim toda a capacidade de ser um cara para fazer a diferença e elevar o nível da equipe, graças a sua personalidade. É muito bom lembrar que nesses últimos anos, apesar de se distanciar da parte de cima da tabela, o Leicester seguiu sendo um adversário duro para os principais times da Inglaterra, graças a Mahrez e Vardy, jogadores que se acostumaram aos grandes jogos. Esse espírito pode ajudar muito o City, que ainda busca por regularidade em grandes noites apesar do bom desempenho contra os rivais na Premier League.


Mahrez é uma garantia de bons passes, criatividade e finalização. Não tenho dúvida que chega para jogar e vai surpreender muita gente. Apesar de Guardiola ainda ter bons anos no comando do clube, é preciso continuar a busca insaciável por títulos para que o legado seja grande e, pensando assim, já que outros nomes de classe mundial estão indisponíveis, Riyad Mahrez aparece como o nome ideal e na hora certa.


Siga @igorjuni0
Siga @mancitystuffbr