Bournemouth 0-2 United: dia de testes antes da semifinal da FA Cup

Era um jogo insignificante e com poucos motivos para o torcedor se animar, mas Mourinho fez questão de tentar puxar a motivação do elenco. Rodou o time, trocou 7 nomes na escalação e complementou falando que 'não era necessariamente um rodízio, e quem fosse excepcional poderia ser titular no sábado'. A partida em questão é a semifinal da FA Cup, única competição que nos resta, diante do Tottenham. Uns dois jogadores podem ter ganhado vaga para Wembley na vitória sobre o Bournemouth, no sul da Inglaterra.


ESPN.com.br | Manchester United vence Bournemouth, se consolida na vice-liderança e ameniza crise


Se o clima envolvendo Pogba parece não ser dos mais empolgantes, ele novamente foi escalado em sua posição favorita. Herrera e Fellaini eram os responsáveis pela saída, ajudando os necessitados zagueiros e liberando o francês para suas conduções na esquerda. A qualidade de Alexis é indiscutível, mas sua ausência também o ajuda de certa forma. O chileno costuma centralizar para armar e muitas vezes seu posicionamento se torna um empecilho nas ações do camisa 6.


Getty Images
Getty Images

Pogba fica ou sai? A certeza é que Mourinho está favorecendo o 4-3-3, utilizando o jogador em sua melhor posição


Hoje teve liberdade para ocupar as zonas onde pode ser influente. Mesmo assim, encontrou algumas dificuldades para criar bons lances em um cenário que pode ser dividido entre parcelas de culpa. O jogador em alguns momentos toma decisões desleixadas e que não correspondem ao seu talento, mas toda a estrutura do time atrapalha. Sem Lindelof, a construção vindo lá de trás praticamente inexiste. Os meias têm o hábito de reclamar com a defesa pela falta de proatividade - com razão.


Nem toda equipe precisa ter uma saída totalmente elaborada, mas o posicionamento das peças lá no início geram efeitos diretos e indiretos na chegada ao campo ofensivo. Uma grande contribuição seria ter os laterais mais à frente, esticando a marcação e abrindo alguns espaços no meio. Por instrução de Mourinho, isso não costuma acontecer com os titulares e a esperança de ver Darmian agindo de maneira efetiva é menor ainda.



Curta o Old Trafford Brasil no Facebook



Tirando os clássicos pivôs, não consegui identificar a função de Fellaini, totalmente nulo no geral e pronto para fazer as malas - assim como o italiano. A sorte é que Herrera resolveu jogar. Sua atuação serviu de lembrança daquilo que era capaz nos tempos de Athletic Bilbao ou em algumas fases aqui. A agressividade na contenção (e pressão) sempre esteve presente em suas exibições, mas em 17/18 era só isso. Com a posse, nada além do mediano e algumas atitudes até medíocres.


Getty Images
Getty Images

Decepcionante na maior parte da temporada, Herrera foi preciso e consistente com e sem a bola


No Vitality Stadium, o espanhol conseguiu mesclar seu ritmo intenso com o tratamento ideal da bola, ativando quem aparecia entre as linhas e dando passes cruciais como esse. No lance em questão, outro aspecto notável é tecla repetida nos textos: Lingard é um facilitador extremo das jogadas combinadas, seja trocando toques curtos ou se movimentando de modo que confunda o oponente. O inglês saiu aos 18 da etapa final e tem boas chances de começar jogando no sábado.


Considerando que Lukaku e Sánchez são absolutos e que o 4-3-3 deve continuar sendo a formação, a disputa é com Rashford. Seu concorrente e amigo de categorias de base foi o mais ativo do tridente, desestabilizando a marcação com mudanças de direção e dando imprevisibilidade ao ataque. Ainda aposto na 'experiência' de Jesse contra o jogo imperfeito de Marcus, que deve ser o primeiro a entrar para possíveis contragolpes.


Getty Images
Getty Images

É mais do que claro: o posicionamento inteligente de Lingard faz com que o time jogue melhor no ataque


No meio-campo, Pogba melhorou consideravelmente depois do intervalo e com a entrada de Romelu, espetacular em suas 'escolhas' nos pedidos de passe. O francês será titular ao lado de Matic e provavelmente Herrera, o melhor do time antes de sair para descansar aos 72’. Na defesa, Jones teve um ótimo desempenho se levarmos em conta que sua última aparição havia sido em fevereiro. Smalling continua aleatoriamente fazendo gols, Darmian e Shaw fizeram o mesmo que eu e você: nada.


Atenção total para a Copa da Inglaterra, torneio que não deve pesar para avaliações de temporada, mas segue carregando um prestígio histórico. Após esse dia de testes, acredito que Mourinho vá escalar a seguinte equipe: De Gea; Valencia, Smalling, Bailly, Young; Matic, Pogba, Herrera; Sánchez, Lukaku, Lingard. O Tottenham já provou que consegue tirar o melhor e o pior do nosso aglomerado de jogadores, portanto não vejo favoritismo. Resta torcer para que não seja o último compromisso significante de 17/18.