O que a contratação de Fred implica no United?

O United se mostra ativo desde o começo da janela de transferências e alguns alvos parecem bem claros e diretos, gerando menos novelas desgastantes e mais viabilidade para o planejamento de Jose Mourinho. Depois de jogar por 13 minutos no amistoso da Seleção contra a Croácia, Fred viajou para Manchester e concretizou sua vinda para o lado vermelho da metrópole. O valor não foi divulgado, mas acredita-se que seja algo em torno de £52 milhões de libras. Lembrando que o City de Guardiola esteve próximo de contratá-lo em janeiro, assim como foi o caso de Alexis Sánchez.


ESPN.com.br | Manchester United está disposto a pagar o que o Real Madrid pedir por Bale


E o que devemos tirar dessa frase passa pela frieza/consciência com a montagem da nossa própria equipe - e não focar em bobeiras como 'chapéu no rival'. Costumo me empolgar com várias aquisições, mas o contexto que envolve e se apresenta dentro de Old Trafford nos últimos anos é o suficiente para abordarmos esses anúncios com uma dose de calma. O fato do tão procurado encaixe do meio-campo ainda não ter aparecido - depois de vários treinadores, formações e transações - prova que as coisas nem sempre saem como esperamos.


Getty Images
Getty Images

Fred esteve no campo do Anfield no último domingo; agora, vem para o verdadeiro templo do futebol inglês


De qualquer forma, o brasileiro possui muitas das características necessárias para se consolidar em alto nível. Além de um repertório vasto para uma peça que não estará toda hora no setor ofensivo. Detalhei seu estilo de jogo em um texto recente e a leitura é mais do que recomendada agora. Resumindo rapidamente, se trata de um atleta capacitado com e sem a bola, apto a destruir e construir usufruindo da mesma intensidade. Participativo, o ex-Internacional se destacou na Ucrânia por funcionar como um termômetro da equipe de Paulo Fonseca.


Que era, por sua vez, um conjunto baseado em uma filosofia propositiva e com uma estrutura posicional bem diferente da nossa. Como o meia central direito de um 4-2-3-1, partia do lado de Stepanenko e flutuava entre as linhas para ganhar terreno com condução ou passes - felizmente, conseguia dar toques incisivos para acelerar as jogadas e pegar o adversário de surpresa. No United, onde não existe tanto jogo controlado, ele obviamente ajudará nisso - tem uma 'seleção de passes' superior a de Pogba -, mas também poderá ativar diretamente um ataque mais veloz.


Para isso ser potencializado, vamos precisar de uma evolução considerável na movimentação e na frequência das corridas por trás da defesa, então é outro ponto a ser discutido. O que deve acontecer com certa prontidão é a melhora em nossa armação pelo centro, dependente demais de momentos inspirados do francês ou os recuos emergenciais de Lukaku. É indiscutível que o belga agradou ao consertar de sua maneira um sistema falho, produzindo como um playmaker e sem perder a ameaça das infiltrações na área - ao contrário de Ibrahimovic, por exemplo.



Idealmente, entretanto, ele não necessitaria ser o salvador da pátria em tantos aspectos; é um atacante goleador e devemos nos aproveitar disso. São 172 gols na carreira aos 25 anos e sua veia artilheira pode nos trazer frutos enormes. Uma redução nessa carga de trabalho contribui, portanto a presença de uma peça constante e criativa mais atrás será de grande valia. O brasileiro só não tem tamanho (1,69m), porque de resto impressiona pelas formas que consegue ser dominante.


É importante ressaltar que a sua plataforma de desempenho - ou seja, o campeonato que disputa semana após semana - foi a liga da Ucrânia, significando um salto de realidade visível. A competitividade da Premier League com certeza será um desafio, mas na Champions foram dados sinais firmes de que pode render seu máximo contra oponentes duros. Algumas de suas melhores performances vieram no torneio continental, aliás, mostrando que a competência se eleva conforme o tamanho da ocasião.



Curta o Old Trafford Brasil no Facebook



E não se dá apenas através de passes, lançamentos e drible. O novo reforço sabe tratar a bola com carinho, mas apresenta ótimo rendimento defensivo. Ele costuma usar de sua energia para marcar de modo agressivo e forçando contato direto com o adversário. O porte físico teoricamente não é avantajado, mas a própria falta de altura fez com que se desenvolvesse um trabalho forte de botes com timing apurado. Quando o desarme não é concluído por ele mesmo, consegue colocar o rival em situações desfavoráveis.


Getty Images
Getty Images

Já vimos esse filme outras vezes, mas o brasileiro tem a qualidade necessária para completar o meio-campo do United


Essa parte do seu jogo implica diretamente na função de Matic, que em tese não precisará se desdobrar como vem fazendo. O sérvio poderá se concentrar em proteger a zaga com sua contenção de primeira em uma movimentação de cobertura horizontal, esquecendo um pouco as perseguições verticais que foi obrigado a fazer. Em fevereiro, aprofundei essa fraqueza da equipe aqui. O brasileiro tem média de desarmes (2,9) superior à de todos os nossos meias (Herrera, 2.2; Nemanja, 1,9; Pogba, 1.2; Fellaini, 0.9) e é extremamente combativo.


Tudo isso fará mais sentido se sua utilização cumpra a expectativa, ganhando a titularidade em um 4-3-3. Vale repetir que nada é certo com Mourinho e o resultado pode ser distinto do esperado, mas o negócio anima em qualidade individual e visível possibilidade de encaixe. Que Fred não seja mais um Kleberson, evolua diferentemente de Anderson, não suma como Fabio - e que tenha a intensidade e identificação de Rafael, mas com maior tempo de serviço. Idade (25) e futebol para isso ele tem.