A derrota do United para o Derby County simboliza a disputa entre Pogba e Mourinho

O United não consegue passar um mês sem polêmicas. O dia era de jogo diante do Derby County pela Copa da Liga, mas a notícia relevante saindo de Old Trafford não teve nada a ver com isso. Após o empate com o Wolverhampton, Pogba parou para falar com a imprensa e fez as seguintes declarações:


"Eu não sou o treinador, não posso exatamente dizer isso, mas… é óbvio que devemos mostrar mais maneiras de jogar. Mas não posso falar isso porque sou um jogador. É minha forma de pensar - nós devemos se movimentar melhor, se movimentar mais. Nós devemos apenas pressionar e atacar como fizemos contra Tottenham, Liverpool, Chelsea e City na última temporada. Quando jogamos daquele jeito, é mais fácil pra gente. O que está nos impedindo? Não posso falar, pois sou um jogador. Não sou eu."


ESPN.com.br | No reencontro de Mourinho e Lampard, Derby County surpreende e elimina o Manchester United da Copa da Liga nos pênaltis


Isso aconteceu no sábado e a repercussão foi leve, mas nada que não pudesse piorar. O ESPN FC britânico reportou que Mourinho deu uma bronca no francês na frente de todo o elenco, declarando que ele nunca mais seria o capitão. Enquanto o português continuar no clube, é claro. Algo que parece cada vez mais fantasioso, levando em conta o ambiente tóxico criado nas últimas campanhas e aquela confusão entre treinador-diretoria-plantel.


Getty Images
Getty Images

Quando a maior figura fora do campo bate de frente com a maior figura dentro dele, as coisas não estão boas


O ponto chave da questão é que ninguém está isento de críticas, mas tudo precisa de um contexto. É certo que Paul não poderia ter externado dúvidas e opiniões de tratamento interno, por mais justas que sejam. Por outro lado, não há vantagem alguma no ato duro realizado por José. É visível que esse tipo de coisa só acontece por serem consequências da falta de controle - e trabalho - do próprio comandante.


As atitudes dos atletas precisam ser analisadas, mas é inegável que exista um denominador comum em tantas intrigas seguindo um padrão. Mou já passou por crises em terceiras temporadas duas vezes na carreira, resultando em desempenho abaixo do esperado e brigas com estrelas das respectivas equipes. Não pode ser apenas uma coincidência que alguns sinais se repitam por aqui exatamente na 3ª campanha.


Pogba tem seus deslizes e ainda não se transformou completamente no meia inquestionável que se previa, mas seria precipitado tratá-lo como qualquer um. É ridículo esquecer que o camisa 6 já compensou tanta falha estrutural do time, sendo responsável pela saída de bola no campo defensivo, a articulação no centro e a infiltração na área adversária. Seu rendimento, inclusive, vem melhorando.


Getty Images
Getty Images

Mais qualidade nesse camarote do que no meio-campo escalado hoje


Com um conjunto mais disposto a jogar futebol e tomar o controle das partidas (não digo em questão de estilo, mas confiança frente ao oponente), ele é indubitavelmente um dos melhores da Premier League. E do mundo. E, enquanto esses elementos não aparecem em nossas apresentações com consistência e seu brilho não é tão evidente, segue sendo a peça com maior influência. Mourinho precisa de uns resultados específicos para salvar sua pele, como a classificação para a Champions League.


Sem Pogba não há a menor chance de alcançarmos esses objetivos sem um sofrimento absurdo. Mas deveria haver chance de vencermos rivais da segunda divisão - o oposto do que aconteceu hoje na 'outra parte' do dia em Old Trafford. O francês já seria poupado e sua ausência não teve relação com esse caso. Só fiquei incomodado com a opção por deixar Andreas fora até do banco de reservas.



Curta o Old Trafford Brasil no Facebook



Entendo que ele tenha entrado na etapa final contra o Wolverhampton e nomes como McTominay claramente vão ganhar minutos também. Se o brasileiro não começar esse tipo de jogo, entretanto, vai fazer o que? Enfim, Andreas esteve acompanhado de Labile e Shaw em um dos camarotes e pode assistir à um companheiro provavelmente cavando seu espaço entre os titulares. Alexis fez mais exibições pífias do que aceitáveis, mas ninguém vinha conseguindo 'bater em sua porta'.


Getty Images
Getty Images

Mais um jogo que Martial inicia e corresponde com uma atuação produtiva e participativa; deve ser titular na próxima rodada da Premier League


Martial foi escalado no triunfo sobre o Young Boys, marcou e terminou como um dos destaques. Nesta terça-feira, foi de longe o ponto positivo do United. Aos 3’ já havia feito dois bons lances, iniciando com maestria a trama que culminou em um lindo gol de Mata. Manteve o ritmo e infernizou a vida de Jayden Bogle, jovem lateral direito. O perigo não veio apenas no flanco esquerdo, surgindo também nas aparições do francês pelo centro. Mostrou qualidade, entrosamento e intensidade - aspecto que motiva as principais críticas em relação a ele.


Se Sánchez continuar intocável na posição, questões consideráveis terão de ser levantadas. Anthony merece ser titular no confronto com o West Ham, no sábado, mas é melhor não nos empolgarmos. No geral, porém, foi mais um fracasso para a coleção particular do treinador que já foi gigante, mas vai ficando pra trás. Frank Lampard deu início neste passo da carreira há 4 meses e hoje preparou sua equipe para dominar a do seu ex-professor.



Participei hoje do podcast #38 do Premier League Brasil, falando justamente sobre o trabalho de José Mourinho. Escutem! 



O tempo passa, a evolução não acontece e o resultado é isso aí. A demissão, quando acontecer, será apenas uma forma simbólica de resumir o trabalho decepcionante que acompanhamos semanalmente. Em dia de queda de braço entre Mourinho e Pogba, o valor de cada um ficou claro de formas diferentes dentro das quatro linhas.