Mourinho é enorme. Assim como o seu fracasso no Manchester United

O inevitável felizmente aconteceu antes do esperado. José Mourinho foi demitido após 29 meses e alguns dias no comando, tempo que não foi suficiente para desenhar um trabalho convincente. A prática claramente não trouxe frutos e o mais alarmante era perceber que perspectivas de crescimento praticamente inexistiam. Seus pontos fortes eram isolados, esporádicos e vazios de significado. Conseguimos contar em uma mão as pequenas fases ou acontecimentos em que sentimos o mínimo progresso sendo feito.


ESPN.com.br | Mourinho não é mais técnico do Manchester United


Por outro lado, precisamos de umas 10 mãos para contar os momentos que escancaravam a falta de substância no "projeto" tocado pelo treinador. Falo isso com a plena tranquilidade e consciência de quem é um fã de longa data do português. Sua posição na história do esporte é extremamente alta e não podemos ignorar os feitos e legados de uma figura revolucionária - e vencedora, fundamentalmente. Seus times podem não condizer com o aspecto de revolução trazido pela escola Cruyffiana que chama mais atenção, mas marcaram época por conceitos organizacionais e psicológicos levados ao mais alto nível. 


Getty Images
Getty Images

Imaginávamos que seria uma rivalidade. No fim das contas, não podemos mais tratá-los na mesma frase


O português foi um real prodígio que conquistou uma Champions League pelo Porto aos 41 anos e posteriormente, com um hype absurdo criado pela mídia e alimentado por ele mesmo, correspondeu às expectativas num plano geral. O problema é que falamos de um esporte cruel e maravilhoso justamente por gratificar conjuntos, e não apenas nomes soltos pelo ar. Mourinho, assim como suas declarações a cada semana mais lunáticas, foi apenas um nome solto pelo gelado ar de Manchester. Se em Porto, Londres, Milão e Madrid (com ressalvas) ele cravou sua assinatura com brilho, por "aqui" foi um personagem intrigante e nada mais. Não há Europa League ou FA Cup que escondam a realidade: ele fracassou em Old Trafford.


É uma palavra forte e que devemos usar com cuidado, mas necessária para refletir o insucesso em tantos fatores que só pode culminar em um cenário deprimente como o atual. O gajo gastou £418 milhões em 11 contratações, algumas delas questionáveis e outras empolgantes. De qualquer forma, a expectativa inicial não importa: a realidade sempre vinha depois, com o desempenho abaixo da média de cada um. Seja um zagueiro mais inconsistente como Lindelof, um meia de £52M como Fred ou uma estrela como Alexis Sánchez.



Curta o Old Trafford Brasil no Facebook



Zlatan era um tiro curto, registrou bons números e nos deixou; Mkhitaryan chegou como um dos líderes de assistência da Europa e aqui virou piada antes de sair; Bailly é de longe nosso melhor zagueiro, mas ficou encostado; Matic foi um sucesso em 17/18, mas só atrapalha o time em 18/19 e mesmo assim estava intacto; Lukaku faz a pior campanha da carreira, mas ainda tenho fé nele; Grant a gente pode desconsiderar e Dalot eu creio que deve se transformar no maior acerto do técnico aqui.


Getty Images
Getty Images

Junto com Ed Woodward, Mourinho foi (ir)responsável por montar um elenco sem filtro ou lógica alguma


E claro, tem o capítulo Paul Pogba. Para uma análise mais extensa sobre a maior guerra de egos no período leia esse texto, que detalha a forma contraprodutiva de se lidar com um craque. O francês tem seus defeitos e não pode passar impune de críticas, mas é marcante que José tenha conseguido mais uma vez brigar com a estrela do seu clube. Não é a primeira vez, né? Além de gerar um efeito negativo em campo, seja com a não potencialização do atleta quando ele joga ou a falta de talento quando o mesmo fica no banco, acaba criando um clima ruim até com parte da torcida.


Que merece, e precisa, de uma atmosfera muito melhor do que a vivenciada nos últimos anos. Podemos discordar nisso, mas eu via um ambiente mais alegre com Louis Van Gaal – e olha que o holandês tocou pra escanteio um dos fans favourites, Rafael. E de tratamento desrespeitoso com brasileiro Mou entende também. Outro tema sempre discutido aqui, é inexplicável que tenha pedido para Andreas Pereira permanecer e simplesmente deixá-lo de lado. O garoto sempre manteve a postura, mesmo passando por momentos desanimadores e "esquisitos"; que agora seja tratado do modo correto.


Getty Images
Getty Images

Mourinho tentou colocar Pogba na sua sombra, mas sabemos que o jogador representa um potencial maior para o clube. Agora, chegou a sua vez de crescer


Vou parar por aqui para não publicar uma bíblia, mas são vários fatores a serem discutidos sobre uma "era" muito frustrante. Nos próximos dias trarei posts sobre a reformulação do staff com a volta de Solskjaer e Mike Phelan, os problemas na diretoria e os possíveis candidatos ao cargo. A notícia da última terça-feira dá um ânimo diferente para ler, escrever, acompanhar e assistir o Manchester United. A estagnação anda de mãos dadas com o retrocesso e deve ser cortada pela raíz.


Agora, podemos respirar ares distintos e pelo menos acreditar em um futuro melhor. O clube tem plenas condições estruturais e financeiras para transformar temporadas deprimentes em aprendizado no caminho de novas glórias. Os dois dias que despertaram mais empolgação recentemente dizem tudo: a contratação e a demissão de José Mourinho. É representativo do tamanho do treinador e, infelizmente, do seu fracasso no Manchester United.