United 4-1 Bournemouth: o Old Trafford renasce no ritmo do seu maestro

Imaginávamos que seria melhor, mas não tanto assim, né?


O United segue em plena evolução e, após muito tempo, parece estar em um caminho desenhado intencionalmente por seu treinador. Que tem uma ideia comprada pelos atletas, algo fundamental em qualquer campo da sociedade. E no de futebol temos um grupo capaz de produzir jogo, tirar o torcedor da cadeira (e não pra ir embora) e devastar qualquer adversário em um dia inspirado. Só que é recomendado não esperar por esse dia, mas sim trabalhar para que o bom desempenho se torne habitual.


ESPN.com.br | Pogba dá show, Manchester United goleia e engata sequência de três vitórias na Premier League


Foram apenas três compromissos, mas é o que temos para analisar e a diferença pra fase anterior é tão gritante que não pode ser ignorada. Não estamos assistindo uma equipe que melhorou em pontos específicos. É um cenário completamente distinto. A começar pelo símbolo da agremiação atualmente - para o bem e para o "mal" -, Pogba. O craque que viveu disputas de poder com seu antigo comandante está tomando a responsabilidade e mostrando toda a qualidade que alguns haviam esquecido.


Getty Images
Getty Images

Por mais 'vírus' como Paul Pogba


Incluindo quem o deixou no banco para McTominay e Fellaini no maior clássico da Inglaterra. O francês chegou a ser chamado de 'vírus' e aparentemente era um dos grandes motivos para a nossa estagnação, mas a realidade sempre foi outra. Falamos de um meia com repertório único e digno de se colocar entre as referências do esporte. Não tirar o melhor de seus destaques, seja por instrução ou atitude, é uma marca negativa. E Solskjaer não está disposto a correr esse risco.


Nem é preciso detalhar a influência do psicológico no jogo do camisa 6, é só olhar para o seu rosto. Seria exagerado e ilusório negar que vontade e intensidade (principalmente) têm importância, mas a raiz de tudo isso está no sistema. A estrutura já faz com que as coisas naturalmente sejam mais positivas, estimulando aproximação, passes curtos e uma movimentação fluida. Não vemos aquela bagunça sem sentido algum ou peças estáticas tentando tirar um coelho da cartola individualmente.



Na Premier League, o United marcou 29.2% (12) dos seus gols sob o comando de Solskjaer. 



É possível enxergar com clareza o efeito que os setores aplicam entre si, começando pela saída de bola que busca otimizar o processo que acontecerá 30 metros na frente. O panorama diante dos adversários vai sendo aberto com mais facilidade e, com a qualidade e entrosamento que magicamente (obs.: não é mágica, é tática e treinamento) apareceu nas áreas ofensivas, fica difícil não criar oportunidades e convertê-las quando a confiança está novamente em dia.


Getty Images
Getty Images

Assim como Solskjaer fazia nos seus tempos de jogador, Rashford está agradando toda a torcida


Paul não está apenas registrando números espetaculares (4 gols e 3 assistências com OGS), mas atuando com a constância que sempre pedíamos e ditando o ritmo na articulação. Tudo passa pelo seus pés (e cabeça) e, por mais que a visão padrão seja buscando a incisividade, há momentos em que não é necessário forçar. Então ele segura, cadencia e orquestra o movimento dos seus companheiros. Isso ficou visível em um lance que Lingard partia em velocidade, o viu diminuindo a passada e brecou. Trabalhamos a bola e posteriormente chegamos em condições melhores no último terço.



Curta o Old Trafford Brasil no Facebook



Onde Martial e Rashford não estão disputando para ver quem é o mais inconsistente, mas sim quem joga melhor. O primeiro vem mantendo um ótimo nível desde aquela sequência artilheira e o segundo se transformou. Está utilizando suas conhecidas características com consciência e, consequentemente, acabando com quem surge pela frente. É um atacante de perfil especial que muitas vezes nos frustrava pela forma que aplicava-o durante os 90 minutos; 'polindo' seu jogo, é um espetáculo.



"Quando nós vamos, nós vamos. Os primeiros a pressionar. Estamos em casa. Nós vamos fortes, nós começamos fortes", disse Pogba no túnel antes do triunfo sobre o Huddersfield, na quarta-feira. Está correspondendo as suas palavras.



Até Lukaku voltou a balançar as redes, mas por enquanto é reserva. Não há razão para mudar algo que está dando tão certo. Torcíamos para que esse fosse o caso com a dupla de zaga, hoje finalmente Bailly-Lindelof, mas a excentricidade além da conta do marfinense falou mais alto. O defensor fazia uma performance exemplar e poderia cravar sua vaga nesse XI em gradativa construção, mas deu um carrinho inexplicável, foi expulso e perderá os próximos três confrontos.


Getty Images
Getty Images

O time parece alinhado com um propósito, líder(es) e vem fazendo de tudo para não deixar resquícios das fases sombrias


É o único ponto negativo de um Manchester United que oferece padrão de jogo, agressividade, gols, dribles, vitórias e entretenimento. Como deve ser, como está sendo. Ole Gunnar Solskjaer vem se provando um comandante preciso em todas as nuances; assim como o comandante que temos a felicidade de apreciar dentro das quatro linhas. Paul Pogba é a nossa estrela e isso passa longe de ser notícia ruim.