A grande noite se aproxima e o Paris Saint-Germain é uma incógnita

Para uma campanha que tínhamos a sensação de desperdiçada logo dentro de uns três meses, as perspectivas nesse exato momento são confortadoras. Após a troca no comando, percebemos que o time não era uma causa perdida - é o oposto, na verdade - e está legal de acompanhar o dia a dia novamente. Dez vitórias e um empate em onze jogos, estrelas em alta e o ressurgimento de peças que se tornaram chave nos deixam em um cenário mais do que positivo.


ESPN FC | Sem Neymar, mercado 'rir para não chorar' e problema nos bastidores: PSG sofre às vésperas da Champions


Só que temos pesos pesados pela frente e, se há dois meses não nos importávamos tanto com o resultado (já sabíamos que nada daria certo), agora está na cabeça do torcedor que é possível. O que? Não sabemos exatamente. Passar para as quartas? Incomodar na UCL? Permanecer (!) no top four na Premier League? Por estarmos em início de trabalho, não dá para cravar e criar previsões baseadas em uma vasta análise. Mas é possível conquistar alguma coisa diferente.


Getty Images
Getty Images

A nova comissão técnica mudou tudo para melhor


E estamos há dois dias da primeira 'partida da temporada': receberemos o Paris Saint-Germain nesta terça-feira, às 18h, pelas oitavas da maior competição de clubes do mundo. O adversário nos traz equilíbrio, pois apresenta razões para colocarmos nossos pés no chão e pontos que nos enchem de confiança. Nosso treinador e assistente foram assistir à derrota dos franceses diante do Lyon, na rodada retrasada da Ligue 1, e Thiago Silva resumiu: "Solskjaer talvez foi embora muito feliz, porque não jogamos muito bem".


Foi uma declaração impulsiva do brasileiro, considerando que a atuação não foi esse desastre todo, mas a preocupação existe e não é pequena. Principalmente pelas contusões de três 'corações' da equipe: Verratti, Neymar e Cavani. A começar pelo italiano, que até deve participar do confronto, mas sem as condições ideais - depois da primeira lesão, teve um novo problema em treinamento na semana passada. Ainda não tem sua presença confirmada.



Curta o Old Trafford Brasil  no Facebook



O camisa 8 acumula exibições de alto nível no torneio e é crucial por diversos motivos. Um é o fato de que esse tipo de duelo é vencido - ou perdido - no meio-campo. Fiz uma pesquisa sobre os últimos 10 campeões da UCL e cheguei nos trios/duplas abaixo. Não é necessário um Kroos (seria bom, se Woodward estiver lendo), mas é imprescindível a presença de jogadores com consistência e capazes de aguentar a pressão.


Reprodução
Reprodução

Desde que Solskjaer assumiu, nosso meio-campo nos enche de confiança


Resumi um pouco o que quero dizer no post da vitória sobre o Leicester: "... o parâmetro para definir o nível de um meia é sua atuação média ou até suas partidas 'ruins'. Se em um jogo pouco inspirado você consegue manter uma solidez com duelos, posicionamento e volume de passes, estará bem acima dos que aparecem em momentos". Claro que aqui performances 'ruins' não vão passar batidas, mas é preciso tomar controle das ações independente das circunstâncias.


Marco é uma das referências nesse aspecto e, especialmente em um conjunto que não tem tantas opções para a posição, é fundamental. Nos últimos dias da janela de inverno, o diretor esportivo Antero Henrique foi no desespero atrás de reforços, fracassando com Idrissa Gueye e concretizando a compra de Leandro Paredes. O argentino ex-Zenit precisará de uma adaptação imediata dentro desse panorama de carência por presença central. Tem qualidade para isso.


No entanto, Verratti deve jogar mesmo que sacrificando uns dias de recuperação. Quem não estará na Inglaterra e na França é o craque do time, cara da instituição e um dos melhores do planeta. Neymar por vezes representava início, meio e fim das jogadas do PSG. É sabido que se transformou de um ponta explosivo para camisa 10 de passes finais, mas não só isso. O repertório, que já era extenso desde o Santos, se expandiu em Paris e pegou muito marcador de surpresa.


Getty Images
Getty Images

Sempre um fator de desequilíbrio, Neymar nas tribunas significa a balança pendendo para o nosso lado


Sorte a nossa que teremos esse argumento e tanto a menos para (tentar) lidar. Porque não é só ele, apesar de certa dependência. Mas a influência se dá também de forma indireta. Mbappé é diferenciado e pode decidir o embate em um piscar de olhos, não há dúvidas; por outro lado, o garoto costuma tirar proveito da própria presença do brasileiro, que atrai a marcação com sua nova versão articuladora e gera tempo e espaço para suas infiltrações avassaladoras.


Mais uma ameaça fora do scouting report que nossos analistas trarão para o staff. Não que será fácil combater um ponta/atacante tão imprevisível e brilhante como Kylian. E quando o negócio já parecia ruim, ficou pior. No sábado, Cavani se machucou contra o Bordeaux e perderá ida e volta, de acordo com o L’Équipe. É artilheiro, também pode mudar tudo com uma finalização e, além de sempre puxar a pressão, muitas vezes representa a alma do clube em campo.


ESPN FC - Stretford End | Fulham 0-3 United: direto, soberano e confiante. Como a cartilha do clube recomenda


Em questão de estratégia, é difícil prever o que acontecerá. Ambos os técnicos gostam de ter a posse e controlar o ritmo, mas têm no contra-ataque suas armas mais fatais no momento. Prevejo um estilo híbrido dos dois lados, buscando adaptações conforme as coisas acontecem. Atletas inexperientes e improvisos se tornaram frequentes na prancheta de Tuchel e eu acreditava que na hora H o alemão recorreria ao mais próximo possível do 'testado e comprovado', mas a bagunça ficou tão grande que nem ele deve saber direito.


Edição/Chosen11
Edição/Chosen11

É extremamente difícil acertar o esquema dos franceses, mas imagino algo nessa linha


Apostaria em um 3-5-2 com Buffon; Marquinhos, Thiago Silva, Kimpembe; Dani Alves, Paredes, Verratti, Draxler, Bernat; Di Maria, Mbappé. Meunier era opção viável para a lateral/ala direita por causa do físico; não é boa ideia ter um medalhão de 35 anos batendo de frente com Martial, um ponta explosivo e habilidoso de 23. Mas falamos simplesmente do jogador mais vencedor da história, conhecedor da função e que por lá estava dominando semifinal pela Juventus em 2017. E o belga também deu entrada no departamento médico.


Draxler teve uma ascensão em 2019 e mostrou serviço ao registrar ótimas ações de pressão no meio-campo, algo que vão precisar; mas sua inconsistência pode pesar. Assim como Rabiot, não têm as características que citei como cruciais para o domínio do setor. Nossos oponentes vêm de 5 compromissos com esquemas diferentes e não repetem desde 2018. É uma interrogação enorme que só prejudica a confiança do elenco.



É certo que a confiança está mais alta do nosso lado, mas não podemos tratar o PSG como o time "sem alma" que muitos gostam de falar. O espírito no vestiário do Parc de Princes ganhou em ânimo e força psicológica nessa temporada e não descarto um conjunto motivado a superar o consensual ceticismo. A princípio, tem um plantel com peças de primeiro nível e que podem nos superar. Será um jogaço.



Getty Images
Getty Images

Tuchel está quebrando a cabeça com a situação atual em Paris. Precisará de um plano D


Algo que temos de sobra. E o XI inicial definido. Solskjaer disse em entrevista à Sky Sports que já decidiu todas as escalações para fevereiro – que terão alterações conforme condição física e desempenho, claro – e passa a sensação de controle. A velha soberania que sabemos muito bem como funcionava em Old Trafford. Como vimos, são várias as dúvidas, mas a certeza é que o Teatro dos Sonhos vai receber mais uma mágica noite europeia.