Roberto Firmino: bom negócio em todos os aspectos

Após ser vinculado ao United em uma possível transferência no início da temporada passada, pelo visto o nome de Roberto Firmino voltou a ser pauta nos corredores de Old Trafford. Roger Wittmann, empresário do meia/atacante, cravou ao jornal alemão Bild que o seu cliente deve tomar o rumo da Inglaterra quando deixar o Chile, onde disputa a Copa América com o Brasil. O lado vermelho de Manchester é um dos mais prováveis destinos. A pergunta agora é: considerando a contratação já concretizada de Memphis Depay e a capacidade existente no nosso setor ofensivo, a vinda do jogador realmente seria um bom e coerente negócio? 


A minha resposta é sim - e van Gaal provavelmente deve concordar comigo. Por aspectos diversos e interligados. O primeiro, obviamente, é a qualidade inegável do brasileiro. Acompanhando de perto ou não o modesto Hoffenheim, clube que defende desde 2011, os jogos contra os grandes da Bundesliga e suas performances com o uniforme canarinho provam que os holofotes não se voltaram para Firmino por pouca coisa. Para os mais atentos ao futebol doméstico, as atuações pelo Figueirense em 2009/2010 também servem - embora na época tenhamos visto uma versão ainda 'crua' do jogador, que evoluiu consideravelmente na Europa.


O atleta é dono de um dos melhores dribles do continente - com média de 4.2 por partida, a maior entre jogadores com idade olímpica (23 ou menos) - e convenhamos que esse é um recurso que está em falta na equipe que muitas vezes se mostrou apática sob o comando de Louis van Gaal. Mas não é só por isso que o treinador holandês vê com bons olhos o negócio; é também devido ao aspecto mais imprescindível em todos os trabalhos de sua carreira: a versatilidade de suas peças.


Sascha Steinbach/Getty Images
Sascha Steinbach/Getty Images

Velocidade, gols, assistências, versatilidade e um futuro muito promissor: o que poderia dar errado? (E também não entendi essa sacola da Gucci)


Sendo um meia ofensivo central (que é a função natural de Juan Mata, mas vale lembrar que os estilos são totalmente diferentes e o espanhol ainda vem atuando - bem - pela ponta direita), Firmino fez 27 jogos na temporada e contabilizou ótimos números: 9 assistências e seis gols. No entanto, foram mais 7 partidas iniciadas em posições diferentes: centroavante, winger pelos dois lados e até mesmo meia central, desempenhando papel semelhante ao de Ander Herrera em 2015. Com muita qualidade, tendo em vista que o jogador é bem capacitado a ser parte de um sistema de marcação alta e pressão constante na saída do adversário e já chegou a ser nomeado pela torcida do Hoffenheim como o 'primeiro homem da defesa e primeiro homem do ataque'. Outro ponto que deve contar ao seu favor na hora de uma eventual decisão do United.


Bem, por enquanto não existe algo concreto e uma análise maior pode ser feita se a transação avançar. Mas é certo que um jovem em ascensão, cogitado para a titularidade da seleção mais importante do planeta e sendo o jogador que mais se envolveu em gols (44, contando assistências) nas últimas duas temporadas da poderosa Bundesliga, representaria um negócio com potencial de barganha em um futuro não tão distante. 



Um rápído comentário a respeito de outros alvos do United, segundo movimentações da mídia nesta última semana. 


Mario Mandzukic: simplesmente sem muito sentido. Nossa cota de atacantes com mais potencial de declínio do que evolução já está bem preenchida e o valor especulado (algo em torno das 25 milhões de libras) pode ser mais bem aproveitado. 


Rodrigo Dourado: Luiz Carlos Reche, jornalista Gaúcho, noticiou a provável venda do meio-campista do Internacional ao United pela bagatela de 20 milhões de libras. Todo esse dinheiro em um jogador que só apareceu nos últimos meses - fazendo boas atuações, diga-se de passagem - e ainda não completou 60 jogos como profissional? É bom ter calma. E não se esqueçam que nossos últimos negócios nesses moldes foram os de Anderson (hoje reserva do próprio colorado) e Rodrigo Possebon (sumiu do mapa, mas o Wikipédia me conta que veste a camisa do Al Riffa, do Bahrein).


Harry Kane: 31 gols em 40 jogos em sua temporada de estreia certamente garantiriam ao atacante inglês uma posição alta nos holofotes desta janela de transferências. Mas 40 milhões de libras, como reportado pelo Daily Mail? Loucura.


Felipe Anderson: seria uma contratação muito semelhante a de Firmino e ainda prefiro o jogador do Hoffenheim. De qualquer forma, creio que seja um ou outro para van Gaal. 


E para você?