As 5 piores contratações do United nos últimos anos

Enquanto nenhum desdobramento oficial envolvendo possíveis negociações do Manchester United é anunciado, vamos relembrar o passado - em boa parte, nem tão distante assim. Há pouco tempo, neste mesmo blog, selecionei e classifiquei as 5 melhores contratações do clube nos últimos 10 anos. Agora é a vez do ranking oposto: os cinco piores "reforços" trazidos por Sir Alex Ferguson & cia desde a janela que antecedeu a temporada de 2004/05. Não considerei acordos firmados por Louis van Gaal, pois o mesmo ainda não teve o tempo suficiente para ser julgado (e este que vos escreve ainda tem alguma esperança na permanência - e sucesso - de Angel Di Maria).


1. Anderson | vindo do Porto, em 2007, por £ 26M


Como vocês, leitores, devem se lembrar, Anderson tinha um grande potencial. O desempenho apresentado pelo brasileiro quando ainda vestia a camisa do Grêmio era animador e sua adaptação ao futebol europeu no Porto dava a entender que o Golden Boy de 2008 seria um sucesso na terra da rainha. Em Old Trafford, porém, tudo desandou: foram 7 anos de esporádicos flashes de seu talento, pouca consistência, preparação física longe do ideal e muito fast food, segundo os próprios companheiros. Como citei no post anterior, a declaração do ex-red devil Wes Brown de que o meio campista foi o "jogador menos inteligente" que conheceu resume bem sua passagem por Manchester. Ah, e ele sequer aprendeu a língua oficial do país em que trabalhava. Aqui, seu melhor momento defendendo o clube.


2. Bebé | vindo do Vitoria de Guimarães, em 2010, por £ 7M


Façamos justiça a Fergie: Bebé praticamente foi contratado por Carlos Queiroz, antigo assistente na comissão técnica e conterrâneo do atleta. O escocês só esteve lá para selar o negócio e depois afirmou que nunca tinha visto o jogador em questão jogar - nem por vídeo. Foram 7 partidas (nem todas completas) e três empréstimos em quatro anos e, conforme o próprio português admitiu, quando ouviu sobre o interesse do United em seus serviços achou que era uma piada do empresário. Bom se fosse.


Getty Images
Getty Images

Ao lado de Chicharito, Bebé chegou a conquistar a Premier League pelo United; sua contribuição, porém, foi nula


3. Wilfried Zaha | vindo do Crystal Palace, em 2013, por £15M


A última contratação da lendária carreira de Sir Alex acabou sendo um de seus piores negócios. É bem verdade que Wilfried Zaha vinha chamando a atenção de diversos clubes da elite quando surgiu na Championship e acumulou boas atuações de 2011 em diante, mas não justificava a bagatela de £ 15 milhões. A prova é que SAF, Moyes e Van Gaal comandaram o jogador e nenhum conseguiu extrair algo do mesmo, que recentemente terminou sua trajetória no United para retornar ao Palace (por £ 10 milhões a menos). Foram 4 aparições e, pasmem, 28 minutos de Premier League para o garoto - que ainda pode vingar, é claro, mas por aqui foi um verdadeiro flop.


4. Shinji Kagawa | vindo do Borussia Dortmund, em 2012, por £ 15M


Kagawa é um caso curioso. Também sob o comando de três treinadores, o jogador não fez muita coisa que provasse o seu valor e mesmo assim conta com alguns defensores de sua curta carreira em Old Trafford. O japonês encantou muita gente naquele Borussia Dortmund de Jurgen Klopp, Reus, Gotze e Lewandowski, mas em terras britânicas simplesmente não correspondeu às expectativas. Tanto como winger quanto como um meia atacante (ou até mesmo meia central, onde atuou em algumas oportunidades pra ver se algo funcionava), Shinji foi inconsistente e, em suma, não agarrava as chances que lhe eram cedidas. Pensando em boas performances, me vem à cabeça o 4 a 0 no Newcastle em 2014 e a vitória pelo mesmo placar diante do Norwich, em 2013. Hoje o atleta retornou ao time alemão e vive altos e baixos por lá.


5. Zoran Tosic | vindo do Partizan, em 2009, por £ 7M


Pelo visto, Tosic foi contratado por seu potencial em jogos como Football Manager e FIFA, onde sem dúvidas era uma verdadeira barganha. No mundo real, entretanto, seu desempenho dentro das quatro linhas deixava muito a desejar. No papel, o sérvio podia ser utilizado nas duas pontas e foi um dos que chegaram com a árdua missão de se tornar a "reposição a longo prazo’" de Ryan Giggs, mas nem chegou perto disso. Foram quatro jogos, nenhuma contribuição digna de ressalva e a parte mais surpreendente ainda estava por vir: David Gill, na época o chairman do United, conseguiu um lucro de £ 2 milhões ao negociar o jogador com o CSKA Moscou, onde atua até hoje.


Getty Images
Getty Images

Cristiano Ronaldo e Zoran Tosic: o contraste não poderia ser maior


Discordou da lista ou lembrou de alguém digno de menção? Deixe sua opinião nos comentários e até a próxima.