Allegri na Azzurra, porque a zoeira não pode acabar

É de conhecimento de todos que a Itália caiu no Mundial e, junto com ela, levou Cesare Prandelli e Giancarlo Abete, respectivamente técnico e presidente da Federação Italiana de Futebol (FIGC, em italiano). A melhor descrição da situação veio de San Gigi Buffon, quando disparou na coletiva antes do jogo contra o Uruguai que se a Nazionale não se classificasse seria um desastre. Bem, habemus desastre. Teve a treta com o Balotelli, mas isso é assunto para depois.


O ponto de macumba deste texto será a sucessão de Cesare Prandelli. Sobre Cesare, só uma frase basta: se você quer romper uma tradição, traga resultados. Prandelli tentou dar uma cara ofensiva ao time italiano, conseguiu algum avanço, mas um vice campeonato na Euro 2012 e uma desclassificação na fase de grupos do Mundial seguinte não credenciam ninguém a seguir no comando.


Bem, para o lugar de Cesare, além de Brutus e Marco Antonio, foram cogitados alguns nomes manjados de quem acompanha o futebol italiano. Foram eles Roberto Mancini, Luciano Spalletti, Francesco Guidolin e Massimiliano Allegri. Sim, você não leu errado. E ele é o motivo da zoeira não ter fim.


Getty Images
Getty Images

Partiu sambinha, Chiellini?


Qual milanista não tem pesadelos e à noite acorda encharcado de suor achando que Allegri estava atrás da porta sorrindo e gritando DAI DAI DAI? A falta de talento do toscano é tão grande e tão óbvia que parece incrível que depois de uma passagem um tanto vergonhosa por um clube grande ele seja mencionado numa sondagem dessas.


Mas ele foi, e cá para nós, eu gostei disso. Dá a exata ideia de quão sério as coisas são levadas na Peninsula. E para botar mais lenha na fogueira, aqui vão as melhores ideias que Massimiliano Allegri teve em sua passagem pelo Milan.


acmilan.com
acmilan.com

A zoeira não tem fim


- Transformar um lateral esquerdo (Urby Emanuelson) em um trequartista;


- Manter o Robinho no time;


- Colocar o melhor zagueiro em atividade (Thiago Silva) para jogar 90 minutos com uma lesão numa partida inútil e perder um Scudetto por causa disso;


- Contratar Alessandro Matri para solucionar o problema do ataque rossonero;


- Dispensar Andrea Pirlo por achar que era melhor ter um Mark van Bommel na posição de regista;


- Escalar uma defesa formada por Mexes, Bonera e Yepes;


- Escalar Massimo Ambrosini de zagueiro;


O torcedor vai lembrar outras, mas essas foram as que vieram a cabeça agora. E agora resta a pena e a esperança para quem torce para a Azzurra. Pena que, se Conde Max foi eleito, todos sabemos o resultado, e esperança para o que o reinado de Massimiliano Allegri seja o mais divertido de todos, e que dure pouco.