Vexame para o Milan, uma 'glória' absurda para o Benevento

Talvez nós tenhamos maneiras diferentes de encarar o empate de hoje contra os bruxos do Benevento. Diacho, talvez eu mesma tenha maneiras diferentes de ver esse resultado se fosse confrontado logo no começo da temporada. Naquela época tenho certeza que a linha a ser escolhida seria a da reclamação infinita, dedo no olho e chute no saco de todos os envolvidos e diversos palavrões escritos. Claro, a insatisfação está aqui guardada no fundo do peito e será liberada aos poucos, contudo, não posso, e nem devo, me encher de fúria ao ver a história ser escrita bem diante dos nossos olhos de torcedor.


Foram jogadas 14 partidas e contabilizadas 14 derrotas, sendo as últimas delas vendidas muito caras e com gols ao final do jogo. Até que o clube fundado em 1929 e que teve duas promoções em sequência, saindo da Serie C e estreando na Serie A neste temporada em toda sua história, conseguiu conquistar um pontinho monumental com um gol de cabeça do goleiro Brignoli no minuto final de prorrogação em seu estádio contra um dos times mais reconhecidos em todo mundo. Como não ficar satisfeito por ter sido parte disso?



Bem, infelizmente sabemos como. O time que sofreu esse gol de goleiro, o primeiro da Serie A em 16 anos, e deu mais um vexame foi o nosso, e na estreia do inimaginável técnico Gennaro Gattuso. Sobre o Milan em si, ele jogou mal, teve Romagnoli expulso indevidamente, contou novamente com Donnarumma para salvar a pele dessa defesa, todavia, tivemos alguns avanços tímidos. Ao colocar Bonaventura em sua posição de origem, o resultado foi uma assistência para o FINALMENTE gol de Kalinic e um golzinho chorado de cabeça do camisa 5 rossonero, bem como deve ser ressaltada uma ligeira melhora na atuação de Kessié. E só.


Getty Images
Getty Images

Cabeceio certeiro e um momento histórico para Brignoli e o Benevento


Gattuso está no começo do trabalho e, por isso, acho justo dar pelo menos um mês de paciência para que possamos ver, efetivamente, o que ele tem em mente que seja diverso do que Montella tentou implantar. Por hoje, o que tivemos foi ainda herança de Vincenzinho em campo. Apesar de que ao tirar Suso de campo e colocar Zapata, abdicando assim da posse de bola e chamando o Benevento ao ataque, Ringhio definitivamente não deixou uma boa impressão.


São 21 pontos, 8ª colocação na tabela, empatados com Fiorentina e Bologna, 1 mísero pontinho de diferença para Atalanta, Torino e Chievo Verona e 18 pontos distantes da líder Internazionale. Como disse, esqueçam o Milan por enquanto, saboreiem o que o esporte oferece de melhor para quem gosta dele.


- Curtinhas -


O Diavolo não tinha um campeonato tão ruim assim desde a temporada 2013/2014, ainda sob o comando de Allegri, quando juntou 18 pontos e ocupava a 9ª posição da tabela após a 15ª rodada.


Entendo que Gattuso precisa de tempo, todavia, colocar o Kalinic para servir espressos no banco de reservas enquanto Cutrone ou André Silva disputavam a vaga de titular deveria ter sido a primeira atitude de Gennarino ao assumir essa pocilga.