Gattuso precisa definir seus titulares o mais rápido possível

Com duas semanas de trabalho completas, já podemos começar a cobrar um pouquinho mais de Gattuso no comando do Milan. Não digo futebol bonito ou mesmo uma evolução de time de várzea para algo perto DAQUELE MILAN AIN QUE SAUDADES DO NEREO ROCCO, mas sim de um único elemento que faltava demais no trabalho dessa temporada de Vincenzo Montella à frente do rossonero, aquilo que seu professor de Língua Portuguesa te cobrou por muito tempo na redação: coerência.


Getty Images
Getty Images

- Me esquece, cara...


Se voltarmos um pouco no tempo, veremos uma estatística que diz muito sobre essa temporada do Diavolo. Sob a batuta de Montella, foram 23 partidas disputadas e 23 formações diferentes, com pelo menos 3 esquemas táticos base diversos utilizados pelo cabelinho até o dia de sua demissão. Pare e pense: o Milan passou mais da metade de um campeonato de 38 rodadas ou mais de um terço de uma temporada regular - com 60 partidas disputadas - sem ter um time titular, uma base sobre a qual o resto deveria ser erguido. Não há reconstrução que se preze sem isso.


Agora que Gattuso já teve sua primeira - e histórica - partida à frente do capeta e a segunda será na próxima quinta feira pela Europa League, cabe a nós, torcedores, e principalmente aos donos da bola Fassone e Mirabelli já darem uma voadora nos peitos do técnico calabrese cobrando justamente essa atitude de agora em diante. Caso Ringhio queira, de fato, ter mais sucesso do que seu antecessor, deve começar a trabalhar duro na construção de um time titular que seja minimamente similar ao que foi escalado no empate com o Benevento.


Getty Images
Getty Images

Reencontrar o bom e velho capitão Jack é uma das funções de Gennarino


Veja bem, ter um time titular não significa nunca fazer rotações em certas posições que precisam, como, por exemplo, a ala direita, que claramente não pode ser dada em confiança para Fabio Borini ou Ignazio Abate, já que ambos tem problemas defensivos sérios e reconhecidos. Ou mesmo fazer um rodízio entre os meias/volantes que Gattuso tem à disposição para achar uma dupla que se complemente. O uso inteligente e pontual dos reservas também é um requisito mínimo nessa coerência. Todavia, ele deve ser inteligente, e não a moda c*aralha como era com Montella.


Repetição e treinamento do esquema tático, definição clara de funções dos jogadores sem e principalmente com a bola e determinação de um time titular o quanto mais rápido possível podem ser o caminho para que o novo técnico e ídolo rossonero consiga cumprir os novos objetivos dessa tragédia grega que se tornou o Milan.