Com o Milan é assim, uma no cravo e outra no meio da testa

Por diversas vezes eu abri e fechei o navegador. Algumas vezes pensei seriamente em não escrever mais nada acerca do time, seus jogadores, seu técnico e principalmente sobre seus resultados. Talvez seja assim que nos sintamos após algumas tentativas de dar chances e votos de confiança a quem já nos tenha decepcionado algumas vezes - e olha que essa nem é a pior temporada do Milan que já acompanhei.


Contudo, existem momentos em que você já não consegue mais sorrir amarelo, dar tapinha nas costas ou virar a outra face. Aquele ponto em que apenas pensar no próximo jogo, na próxima oportunidade, na próxima chance as coisas vão melhorar, e elas não melhoram. Talvez seja muito mais a azul tristeza digitando aqui do que um torcedor que - acreditem, é verdade - ainda tenha alguma esperança de que essa temporada ainda pode abrigar uma boa virada de mesa desse time rossonero, todavia, uma hora a gente torce para que a luz ao final de tudo seja realmente um trem desgovernado em alta velocidade.



Não só as principais peças de ataque do time foram completamente anuladas pelo ótimo trabalho defensivo do Hellas Verona, como Gattuso cometeu erros que já tinham custado à Montella diversos pontos pelo caminho, como, por exemplo, a escalação de Kalinic no comando do ataque e Borini no lugar de Cutrone, que havia feito um ótimo trabalho no meio da semana, na ponta esquerda. Entretanto, a pior das falhas do neo-treinador Gennarino foi tirar o lateral esquerdo Rodriguez e deslocar Fabio Borini, como todos os seus problemas defensivos, para aquele setor. O resumo da ópera é que TODOS os três gols dos anfitriões surgiram em falhas defensivas do camisa 11, sem nenhuma exceção.


Getty Images
Getty Images

Caracciolo comemora o primeiro gol do Verona na partida, na primeira falha de Borini


Após o segundo gol do Verona, o time todo do Milan parecia ter levado um belo cruzado de direita de Jack Battlin' Murdock, se apoio mal e porcamente nas cordas e não teve mais coragem, capacidade, forças, o diabo que seja necessário para reagir. Ao final da partida foram 12 chutes do Diavolo no gol defendido pelo brasileiro Nicolas e nenhum golzinho, enquanto a equipe de Fabio Pecchia precisou acertar apenas 4 chutes na direção da meta de Donnarumma para 3 desses fizessem o mal assessorado goleiro milanista buscar a bola no fundo das redes.


Pelo menos a sorte, ao contrário da vergonha na cara desse time que arrega na primeira dificuldade, não nos abandonou completamente. A derrota faz o Milan estacionar na 7ª colocação com 23 pontos conquistados. Como Fiorentina e Torino também perderam seus jogos, apenas a Atalanta, caso vença seu jogo contra a Lazio, pode tomar essa vaga. Enquanto isso, a Sampdoria, que ocupa a 6ª colocação, também perdeu seu jogo contra o Sassuolo e segue nos alcançáveis 27 pontos.


- Curtinhas -


Suso e Romagnoli estão suspenso da próxima partida, contra a Atalanta, no dia 23.


Em entrevista coletiva após o jogo, Gattuso assumiu a responsabilidade pela saída de Rodriguez e, sem meias palavras, foi direto no assunto a dizer que um time desse nível não pode se abater como aconteceu, além de ressaltar que em diversos momentos os jogadores não atuam como um time, tentando resolver tudo por si.