Gattuso põe Milan de castigo nesse Natal

A demissão de Montella trouxe a um Milan totalmente reformulado alguém com história de títulos e outras conquistas para comandar o time. Uma pessoa cuja identidade com esse clube é indelével e que sua liderança também é inquestionável. Gennaro Ivan Gattuso foi alçado de técnico do Milan Primavera para o time principal com a simples missão de salvar uma temporada que começou erroneamente carregada de expectativas após um caminhão de contratações.


Depois da Fatal Verona do último domingo, Gattuso botou o dedo na ferida ao dizer que não é possível um grupo de jogadores desse nível, com o salário em dia, se entregar na primeira dificuldade que aparece e essa fragilidade durar por tanto tempo assim, mesmo havendo neste grupo jogadores com experiência internacional e com duas finais de UCL nas costas. E resolveu dar um castigo para que esses mesmos jogadores entendam as m*erdas que estão fazendo, ao cancelar a tradicional ceia de natal do clube e determinar um ritiro, ou seja, uma concentração, que começou ontem e não tem data para terminar.




Temos os fatos, vamos aos comentários. Não acredito que a solução definitiva seja uma concentração, contudo, é uma maneira de abordar o problema. A verdade, pelo menos para esse corneteiro aqui, é que alguns jogadores simplesmente perderam o interesse em se entregar ao máximo pelo time, enquanto outros estão em uma má fase técnica que parece não ter fim, e isso está afetando todo o sistema. Pegue, por exemplo, Bonaventura e Suso, que têm seus altos e baixos, mas nunca deixam de tentar resolver o problema. Por outro lado, temos Kalinic, Biglia e André Silva, todos claramente desinteressados do momento que entram em campo até o último apito do árbitro.


Não há solução mágica aqui, apesar de achar uma iniciativa válida esse ritiro determinado por Gennarino. A questão do desisteresse passa diretamente pela crise que todo o projeto esportivo dessa nova gestão chinesa, que precisou ser reajustada no meio do caminho. Afinal, imagina você ser contratado por um time que te dá expectativas altíssimas de que um título na temporada é possível, ou que a briga será por uma vaga na próximas Champions League e seis meses se depara com o meio da tabela e derrotas inexplicáveis frutos da falta de objetividade do técnico anterior, confuso entre prepração técnica e física em métodos contestáveis, uma falta de decisão relativa aos titulares e ao esquema base de jogo.


Getty Images
Getty Images

- GALOPEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEE....


Não surpreende que os melhores jogadores na equipe atualmente sejam os mesmos que estavam na época das vacas magras, quando as expectativas eram tão baixas quanto à atual. Donnarumma, Suso, Montolivo, Romagnoli, Bonaventura, Cutrone e Calabria já estavam por lá na temporada passada e agora tomam a responsabilidade para si, enquanto as grandes contratações no bom e velho português estão pouco se lixando para o que acontece com o Diavolo.


Novamente, a decisão de manter o time concentrado por tempo indeterminado é uma maneira de tentar corrigir o problema, contudo, não me parece a solução a longo prazo. A não ser que os jogadores citados assumam a posição de líderes e contagiem o restante com o senso de responsabilidade de quem sabe a importância que o Milan tem. A resposta dessa má fase está nos jogadores.


- Curtinhas - 


Guidice Sportivo deu uma rodada de suspensão para Romagnoli e Suso, que, assim, não enfrentarão a Atalanta, no San Siro, na próxima rodada da Serie A, dia 23.