Milan: vaga na Liga dos Campeões? Não, obrigado

Sobre o último jogo, não há muito o que acrescentar além do fato da Juventus ser muito mais time do que o Milan, e não digo em campo, já que em 75 minutos de bola rolando vimos bons momentos de ambas equipes, com bola no travessão, defesas de ambos os goleiros e falhas defensivas de todos os lados. A Juventus é mais time por ter mais time, mais jogadores à disposição que podem mudar o resultado em 10 minutos, como aconteceu. Contra esse fato, não há argumentos.


O ponto que gostaria de discutir nesse momento é uma difícil, porém não impossível, classificação do time de Gattuso para a próxima edição da Champions League. Essa possibilidade passa diretamente por uma vitória obrigatória no clássico contra a Internazionale nesta quarta-feira (4/4), o que reduziria a distância entre eles para 5 pontos, permanecendo a Lazio entre as equipes de Milão na tabela, com seus 57 pontos. Vamos trabalhar aqui o otimismo nosso de cada dia, tudo bem? Digamos que ao final do campeonato essa vaguinha dependa exclusivamente do resultado milanista na última rodada, que uma vitória sobre a Fiorentina garantiria a tão esperada volta ao principal torneio interclubes do velho continente. Qual seria sua reação?


Permita-me aqui desafinar do coro dos contentes quando digo que gostaria imensamente de ver esse time disputar mais uma temporada a Europa League. Este é o exato momento em que coloco frente a frente a lógica e a torcida pelo capeta.


Getty Images
Getty Images

- Tão cedo e já tá beubo o blogueiro, rapaz...


Por um lado, principalmente o extracampo, a simples participação na Liga dos Campeões garante diversas vantagen$. Além do prêmio por simplesmente jogar o torneio, mesmo que apenas a fase de grupos, vêm a reboque o prestígio, a vitrine, o retorno da marca à sua velha e merecida grife, o que chama a atenção de jogadores de maior qualidade técnica e fama. Como dito, a quantidade de vantagen$ é imensa, principalmente para um clube que precisa tanto de grana quanto de reforços. Só que elas, as vantagens, vêm acompanhadas do ônus de ver um time como o Milan confirmar ser apenas uma sombra do que foi ou poderia ser ao assumir a posição de estar ali por dinheiro, sem nenhuma chance de vencer.


Getty
Getty

Quem sabe mais uma temporada e o Diavolo completa a sala de troféus?


Por outro lado, temos a possibilidade de ver esse time já tão interessante maturar um pouco mais contra adversários possíveis de serem batidos - desde que o sorteio ajude - e buscar um título internacional depois de 12 anos sem levantar um troféu dessa qualidade. Jogar por mais uma temporada a Europa League com essa equipe e reforços pontuais, mesmo que não tão galáticos assim, e colocar-se novamente como um dos favoritos ao título, desde que disputem com vontade, é dar mais um passo seguro para o crescimento e amadurecimento de bons e jovens valores que permanecerão no Milan, como Cutrone, André Silva, Calabria, Locatelli e Romagnoli, por exemplo. Esqueçam o Donnarumma, ele deve se mandar em breve, até para manter o caixa do clube em dia.


Pessoalmente gostaria que o Milan voltasse a disputar à Liga dos Campeões apenas quando tiver um equipe que o torcedor olhasse e tivesse certeza de que não seria eliminada logo na fase de grupos, todavia, se a necessidade de dinheiro for tão grande assim e todos os fatores ajudarem, que venha a orelhuda e suas porradas em troca de alguns contos de réis.