Milan e Coppa Italia: 3 motivos para reatar essa relação

São 15 anos que separam o milanista dessa alegria. Depois daquele lindo 31 de maio de 2003, tivemos mais uma chance para rever esse troféu tão raro naquela sala empoeirada da Casa Milan e o time de Brocchi deixou passar. Nessa quarta feira, a partir das 15:50 com transmissão da ESPN, em jogo único - como é disputada a final da Coppa Italia desde a temporada 2007/2008 - o Diavolo terá novamente a sua chance de conquistar o precioossssso  e único título nacional possível de não terminar na região do Piemonte.


Na partida de ida do último título, Don Carlo Ancelotti mandou a campo contra a Roma de Fabio Capello, no mesmo Olímpico de amanhã, um time titular formado por Abbiati, Šimić, Laursen, Roque Júnior, Helveg, Brocchi, Redondo, Ambrosini, Serginho, Tomasson e Rivaldo, com as entrada de Kaladze, Shevchenko e Dalla Bona e com gols de Serginho (x2), Ambrosini e Shevchenko, conseguiu vencer i gialorrossi sem, logicamente, evitar que Totti guardasse o seu golzinho. A partida de volta, no San siro lotado, teve Abbiati, Šimić, Nesta, Laursen, Maldini, Gattuso, Redondo, Seedorf, Rivaldo, Serginho e Inzaghi como titulares, com as entradas de Kaladze, Helveg e Rui Costa. Dessa vez o rossonero, com gols de Rivaldo e Inzaghi, ficaram satisfeitos com o empate garantido por uma doppietta de Francesco Totti. Assim, depois de 26 anos o Milan via seu capitão Maldini repetir o ato de Gianni Rivera, levantando o velho troféu no San Siro. 


Divulgação/acmilan.com
Divulgação/acmilan.com

Dias depois de conquista a Europa, o Milan conquistava a Italia. Detalhe na camisa: Gattuso prefeito (!!!!)


Mais do que uma final e a possibilidade de interromper uma hegemonia nacional, o Milan tem pelo menos 3 motivos para jogar sua vida nessa quarta feira.


O primeiro deles é o título em si. Como dito, são 15 anos sem conquistar a Coppa Italia e 7 anos sem levantar um maldito troféu que valha alguma coisa de verdade, que se possa ostentar na próxima temporada. Se por algum motivo Milan, por todos os seus problemas, não mereça essa glória, o milanista já está com crédito demais por tanto tempo de sofrimento na fila do pão.


O segundo diz respeito a coroação de um trabalho de meia temporada que vale por pelo menos 10 anos de vida. Gattuso pegou essa equipe em frangalhos e transformou um catadão de pelada em um time competitivo. Além disso, conseguiu tirar de jogadores outrora questionados, como Biglia, Hakan, Bonaventura, Kessie e Bonucci, desempenhos ótimos e regularidade. Se ainda assim nem o Milan nem o milanista mereçam esse título, Gattuso deveria receber um prêmio desse tamanho pelo trabalho que fez.


Getty Images
Getty Images

PRECIOSSSSSSSO título da Coppa Italia cairia bem, hein, Smeagol?


Para terminar, o possível e preciossssso título logo na primeira temporada de nova propriedade oriental permitiria não apenas a superação da gestão de Berlusconi - que conquistou seu primeiro troféu no trono do inferno em sua segunda temporada, a 1987/1988 - mas, sobretudo, um pouco de paz, tranquilidade e quem sabe reconhecimento pelo bom trabalho que vem fazendo até o momento.


Pelos torcedores, pelos técnicos ou pelo clube. Nessa quarta-feira em Roma o que todos queremos ver é o time de Gattuso tocar o inferno no Olimpico.


- Curtinhas - 


Hoje a noite tem hangout pré-jogo da galera da AC Milan Brasil no canal do you tube, fiquem ligados!


Existe uma história de que Gattuso estaria em dúvida sobre o atacante titular: Cutrone ou Kalinic. Acho que ninguém em sã consciência colocaria o croata em campo.