O tombo em Nápoles mostra que o Milan ainda tem muito a melhorar

Uma derrota para o Napoli no San Paolo não está fora do roteiro da Serie A de nenhum milanista nos últimos 8 anos. De fato, a derrota em si não era inesperada, e sim como ela aconteceu, tendo o Milan Gattusiano nos dando o inferno rossonero por 52 minutos até sermos alçados aos céus napolitanos por Zielinski, Mertens e pelo nosso todo poderoso Padrinho Don Carlo Ancelotti. Contudo, mais do que a derrota, alguns pontos importantes preocuparam a todos que conseguiram ver a partida, por um streaming pirata ou não.


Mesmo com o jogo sob controle durante algum tempo e a defesa funcionando razoavelmente bem, o Milan voltou a mostrar que definitivamente não tem um regista de verdade. Lucas Biglia não consegue ditar um ritmo de jogo intenso, não acerta malditos passes longos e é uma geleia verde na hora de proteger a bola. O argentino deixou o campo de jogo apenas aos 58 minutos, quando já havia feito a burrada de perder a bola que gerou o primeiro gol de Zielinski e foi substituído por Bakayoko. O francês, por sua vez, mostrou que ainda tem muito a melhorar se quiser jogar naquela posição, se posicionando mal e dando uma assistência para o segundo gol do #20 napolitano.


Getty Images
Getty Images

Aperta. Que. Ele. Peida


Além desse problema, os laterais não começaram bem a Serie A, com falhas de ambos, Calabria e Ricardo Rodriguez, na marcação. Talvez seja apenas a primeira rodada e o falte ritmo de jogo para eles, nós esperamos.


Contudo, novamente o problema está no ataque. Enquanto Bonaventura mandou recado para aqueles que o colocavam no banco de reservas em seu time ideal armando o jogo, anotando seu golzinho e ainda recuando para fazer o trabalho de Biglia em diversas oportunidades, o tridente ofensivo fez uma linda figuração. Tanto Suso quanto Borini tiveram participações limitadas as assistências nos gols de Bonaventura e Calabria, sendo absolutamente ineficazes durante todo o resto da partida e, para piorar, o espanhol ignorou por completo a subida de Mertens no gol da virada. O único que atuou relativamente bem nesse trio foi Gonzalo Higuaín, que se movimento bastante para buscar o jogo, já que este não chegava até ele.


Getty Images
Getty Images

Depois do jogo, Gattuso foi beijar o anel de ouro dos dedos de Ancelotti


Nova temporada, velhos defeitos e problemas. Mesmo se levarmos em consideração que o adversário tinha Don Carletto no banco, que mudou toda a partida com a alteração de esquema para um 4-2-4 abusado e siririqueiro, as alterações de Gattuso foram tardias e não surtiram qualquer efeito no jogo, que parecia perdido já após o primeiro gol napolitano.


O comandante do capeta vai ter algum trabalho para corrigir alguns desses problemas e, possivelmente, uma mudança no esquema tático deve ser adotada para evitar que a falta de um regista MARVADO influencie negativamente no time.


- Curtinhas - 


E pensar que o Locatelli foi emprestado. Que péssima escolha.


Musacchio teve um desempenho bom, contudo, ainda precisa trabalhar bem para que ele e Romagnoli repitam a boa performance da defesa milanista da última temporada.


Entendo que Gattuso queria dar moral para quem já estava no time e, por isso, optou por escalar apenas Higuaín dos novos contratados no time titular. Todavia, não é possível que Castillejo, Laxalt ou mesmo Halilovic tenham se saído pior que o Borini nos treinamentos.