Esse Milan não pode dar muito mais do que isso

Caso você tenha vindo aqui atrés de declarações bombásticas, ofensas ao time ou mesmo ao adversário e uma bela imitação da Rainha de Copas mandando cortas todas as cabeças que usaram o símbolo do Milan na derrota para a Juventus, meu amigo, vai se decepcionar feio.


Tanto no empate com o Real Bétis no meio da semana passada como na derrota para a Juventus ontem na Serie A foram a comprovação do que se lê aqui desde o começo da temporada e que a Diretoria vem falando: Esse time do Milan é mais forte do que o da última temporada, mas tem seus limites precisos dentro e fora de campo, o que ainda o coloca no segundo escalão do futebol italiano, lutando por um quarto lugar na tabela da Serie A. É preciso que o milanista tenha isso na cabeça para poder sobreviver bem e não virar o Taz-Mania, o demônio da Tasmânia a cada vitória ou derrota. Sim, essa foi um referência idosa, lide com isso.


Os limites desse Milan serão os assuntos da vez, após os "melhores momentos" da derrota de ontem:



Algo que já foi dito, mas é sempre bom ressaltar. Gennaro Gattuso é um bom técnico, tem conseguido tirar o máximo de boa parte de seus jogadores e colocado o time exatamente onde todos imaginavam, alí lutando pela 4ª colocação, contudo, por mais que tenha o Milan em seu coraçãozinho de Rinoceronte, Gennarinno não é o treinador que vai revolucionar o futebol, cheio de ideias mágicas e solucionática, como diria Dadá Maravilha, e dar o salto de qualidade que a equipe precisa para desafiar Napoli e Internazionale pelos lugares do pódio que ainda são disputados. Temos aí um primeiro limite importante.


O segundo limite é do próprio time, com jogadores que têm ótimo potencial para serem verdadeiros símbolos desse clube e são bons tecnicamente. Podemos citar o Suso, quando está afim, Romagnoli, Bonaventura, Cutrone e com boa vontade até o Kessié. Todavia, o resto do plantel é composto de jogadores medianos ou com alguns momentos bons, e o banco de reservas basicamente não mantém a qualidade do time titular quando exigido. Estamos vendo isso agora que uma legião de jogadores titulares estão lesionados e os substitutos não dão conta do recado tão bem assim. As vezes nem mesmo os titulares dão conta, só ver a falha de Rodriguez no gol de Mandzukic ou a falha de Laxalt na jogada que deu início ao gol de Ronaldo.


Se o torcedor não tirar essas duas observações na cabeça e cobrar uma vitória contra a Octacampeã do belpaese que não virá e pedir a demissão de todo mundo a toda hora, é hora de fechar Milanello e voltar para o críquete. Logicamente as coisas poderiam ter sido diferentes se Higuaín não tivesse perdido o pênalti e empatasse a partida, se Mazzoleni tivesse tido coragem para tomar a atitude correta e expulsado Benatia pelo tapão na bola que o marroquino deu dentro da área, que gerou o citado pênalti desperdiçado - que, aliás,  só foi marcado por causa do VAR, já o que amigo árbitro teria ignorado - ou mesmo se o argentino não tivesse dado um belo chilique e recebido o cartão vermelho.


Getty Images
Getty Images

E se...


São muitas variáveis para serem levadas em consideração em um exercício inútil se o milanista mantiver na cabeça o que até a Elliott Management sabia quando tomou de assalto o reino do inferno: esse Milan é um projeto de médio e longo prazo, com limitações que serão vencidas com o passar do tempo. Para essa primeira temporada de donos novos, a realidade é o 4º lugar, que já é um avanço em relação às anteriores. Evite uma úlcerca, aprenda que estamos dando um passo de cada vez.


Próxima rodada será contra a Lazio, em Roma, no dia 25. Com 22 pontos, o time de Inzaghi tomou a 4ª colocação da tabela dos rossoneri e se apresentam, sim, como um dos adversários diretos do Milan nessa temporada.


- Curtinhas - 


Entramos agora na sosta, ou parada por causa da Data FIFA no futebol masculino, mas semana que vem o Milan Femminile vai a Florença enfrentar o Florentia SSD.


Por conta da expulsão, apesar de prova de vídeo comprovando que não ofendeu o árbitro, Higuaín deve ser suspenso por, pelo menos, duas rodadas.


Ao que tudo indica, Bonaventura também não deve estar em condições para jogar contra o time da capital.


Quem diria que em uma partida contra a Juventus no San Siro o melhor jogador com a camisa do Milan em campo seria... Tiemoué Bakayoko.


Fabio Borini e Ignazio Abate são dignos apenas uma nota de rodapé, que diria ADEUS.