O salto de qualidade que o Milan tanto precisava garantiu a virada contra o Parma

Parece que finalmente tivemos o que esperávamos por tanto tempo: o anúncio do novo trailer de "Capitã Marvel" nessa segunda feira de futebol americano. O que? Não era isso que você estava esperando? Ah, o Milan? Ele está bem também, relaxem. E venceu de novo, quem diria, hein!


Contra o Parma ontem em partida válida pela 14ª rodada da Serie A, o Milan garantiu mais uma daquelas partidas divertidíssimas de se assistir se você não for milanista, claro. Após um primeiro tempo morno, o time emiliano abriu o placar aos 49 minutos de jogo com Inglese e aquele filme de mais uma derrota vexatória passou na mente de todo torcedor até que Cutrone empatou o jogo aos 55 minutos e de pênalti, Kessié virou o placar a nosso favor.


O maldito do time tomou vergonha na cara, aprendeu a se manter calmo, concentrado e ganhar mesmo quando jogar mal e, vejam bem, não foi o caso dessa vez. O técnico Gattuso mandou a campo uma dupla de zaga no mínimo inusitada com Abate e Zapata que surpreendentemente funcionou de forma mágica, com a velocidade do italiano ajudando a dobrar a marcação nos flancos e compensando a lentidão e presença física do colombiano. Outrossim, Mauri ganhou uma nova chance entre os titulares e jogou com segurança, além de Hakan T'chala estar lentamente voltando ao nível de antes. Todavia o toque (ui) de gênio de Gennarinno não foi apenas na escolha do time titular e sim na precisão cirúrgica da substituição de Mauri por Borini, mudando o esquema tático do time e abrindo espaço para os destaques do jogo.


Getty Images
Getty Images

And I'm too sexy for Milan, too sexy for Milan


O primeiro dele, Patrick Cutrone. Esse menino que fede a gol e não tem um mínimo de talento com a bola nos pés corre desgraçadamente pelo campo atormentando os zagueiros, e o gol de empate surgiu assim. O #63 rossonero roubou a bola do defensor, passou, se posicionou na área, recebeu o passe e com uma finalização precisa, deu justiça ao placar. Se o Milan de Gattuso vive, e agora muito bem, é graças a esse moleque que chegou aos 7 gols na temporada, sendo 3 no campeonato italiano.


Getty Images
Getty Images

Ai, essa TORRE de Ébano francesa...


Agora, se vamos falar de destaque, precisamos falar de Tiemoué Bakayoko. O francês, após 10 partidas na Serie A, deu um salto de qualidade inacreditável e se tornou o dono do meio campo rossonero. Com precisão nos desarmes, altura e porte físico imponentes (ui) para vencer os duelos áreos, Bakayoko se entende perfeitamente com Kessié, revezando as subidas ao ataque, e se firmou como referência no time pós-contusões de Biglia e Bonaventura. Nunca antes na história dessa corneta um jogador tinha mudado a minha opinião tão rápido assim.


No momento exato, Gattuso e o Milan em conjunto deram o salto de qualidade necessário para lutar sim, senhor pela quarta colocação na tabela que ocupa no momento com 25 pontos na caixinha graças ao empate da Lazio com o chatíssimo Chievo Verona, o time da capital estacionou nos 24 pontos. A próxima rodada teremos o Torino (21 pontos) pela frente, novamente no San Siro.


- Curtinhas - 


E seguem imbatíveis a meninas do Milan Femminile! Contra a Roma, após Simonetti ter aberto o placar com um lindo gol, as rossonere viraram o jogo com Giacinti e Sabatino, seguem na liderança com 23 pontos - um a mais que a Juventus - e são o único time sem derrota na Serie A Feminina após 9 rodadas. Que trabalho fantástico de Carolina Morace!


acmilan.com
acmilan.com

Sabatino (e) e Giacinti com o famoso JOINHA de líderes da Serie A


Apesar de estar fazendo gols a torto e a direito, Cutrone precisa aprender a balançar as redes dos adversários mais vezes fora do San Siro.


A vitória veio, mas o placar poderia ser mais elástico se Fabio Borini ou Franck Kessié não tivessem matado tantos contra-ataques como fizeram.


Não se engane, a melhora do time não teve a ver com a entrada do camisa 11 do capeta, e sim com a maior liberdade de Cutrone e Bakayoko.