Outra derrota e o Milan segue em sua crise infinita

Caso você esteja procurando o fundo do poço para falar sobre o Milan, sinto lhe informar mas esse poço aqui, amigo, tem um alçapão que dá acesso ao fundo do poço 2 - a missão. Alí sim você vai encontrar um capetinha, coitado, escondido no escuro com uma lanterna sem baterias.


Podemos argumentar que o time está dizimado pelas lesões e pelas suspensões que tiraram Bakayoko e Kessié, as nossas duas torres, de um jogo tão importante quanto o de hoje. Podemos argumentar que o time só perdeu fôlego e rendimento após a mudança do 433 para o 442 por conta da substituição de Mauri, que desabou em campo com cãibras ou ainda a má fase de duas das principais peças de Gattuso, Hakan e Higuain, que se estende por dois meses. Sem contar que as peças de reposição presentes no banco de reservas não mantêm o nível do time quando são escaladas ou entram em campo.


Getty Images
Getty Images

- Não, tira essa coisa de perto de mim! disse a bola


Contudo, se você quer buscar culpados, ou melhor, culpado, também temos argumentos para jogar o técnico na fogueira. Por mais que ele tenha feito milagre em Novembro, Gattuso tem errado feio e isso tem custado muito ao time. Sua insistência em Higuaín - claramente mais preocupado em arrumar confusão do que fazer seus golzinhos - e Hakan - outro que está com a cabeça preocupada com outra confusão, de cunho pessoal - acaba deixando o time refém de ambos, e matando muitos ataques que poderiam resultar em gols. Ainda, o treinador possui algumas peças interessantes em seu banco de reservas que, por algum motivo, não se mostra tão bondoso quanto como foi com o próprio Bakayoko, como por exemplo Castillejo, Halilovic e, pasmém, Montolivo. Esses são jogadores que obviamente não mudarão o patamar do time para desafiantes ao título, todavia, podem oferecer alternativas mais contundentes se tiverem mais minutos de oportunidades. Por último e não menos importante, é de conhecimento público que o técnico calabrese não tem a menor ideia do que fazer com as três substituições que possui em cada jogo.


Getty Images
Getty Images

Desse tamanho aí mesmo, Gattuso


Seja você pró-Gattuso ou anti-Gattuso, o Milan estão tão enfiado na crise que dá argumentos para todo mundo, sem preconceitos, sem diferenciação e na maior fartura. E enquanto os torcedores decidem quem tem a culpa, o capeta vai descendo tabela abaixo com uma única plaquinha escrita "SOCORRO" pendurada no pescoço. No meu caso, a situação é uma bela mistura de jogadores medianos que estão tentando, mas têm como comandante um técnico também mediano que não consegue tirar o máximo deles.


Talvez as coisas melhorem, talvez não. Dizem as más línguas que as duas próximas partidas do rossonero, contra Frosinone (f) e SPAL (c) serão decisivas para o futuro de Gennarinno no comando do reino do inferno. Aguardemos os próximos capítulos.


- Curtinha -


Ao contrário do time de Gattuso, o Milan femminile de Carolina Morace venceu o Chievo Verona hoje por 5 a 2, com gols de Gianciti (2), Sabatino (2) e Giugliano. Contudo, com a vitória da Juventus sobre o Hellas Verona Women, as rossonere seguem na vice-liderança do campeonato, com 27 pontos.


E voltamos a ouvir e ler os rumores de Arsene Wenger no lugar de Gattuso em caso de demissão do italiano.


O lateral direito Andrea Conti voltou a jogar uma partida oficial após 482 dias afastados por conta de lesões nos joelhos. Bem vindo de volta, Conti, e desculpe a bagunça.


Perguntado pela enésima vez sobre Montolivo, Gattuso respondeu que não o escala pois ele não conseguiria jogar os 90 minutos. Oras, se ele não o faz é porque não é escalado nunca desde a temporada passada pelo técnico e, além do mais, nem Mauri conseguiu jogar a partida inteiro e, mesmo asim, foi titular.