Higuaín volta a marcar e Milan vence a última do ano. Sinais de melhoras ou ouro de tolo?

Dentre uma das coisas que a idade mental avançada traz de bom para o ser humano, além da capacidade de reclamar simultaneamente de cerca de 50 assuntos diferentes - aliás, habilidade essa que eu utilizo de forma ÉPICA - é a de entender que a diferença entre Pirita e Ouro, a velha história do ouro de tolo. Se você não sabe do que estou falando, vá estudar, você tem o universo de conhecimento ao alcance das mãos e um navegador que consegue abrir outra aba, assim você não precisa nem fechar essa aqui nem a de, digamos, sites 18+.


Bem, voltando ao que interessa. O Milan venceu a SPAL de virada com um gol de Higuaín e defesas importantíssimas de Donnarumma, além de ligeiríssimos sinais de mundança de atitude de alguns jogadores, e só. Não se engane, alguém vai ter falar que o capeta jogou bem, teve um volume maior de jogo e mereceu a vitória. Tal cidadão estará radiante, confiante e cheios de "AGORA VAI!" Responda a este com uma única palavra: Pirita. Pegue essa análise e compare com os dados, dessa forma:


O Milan - 5º colocado na tabela com 28 pontos - jogou bem contra a SPAL- conseguiu o empate contra a 16º colocada do campeonato, com 8 pontos, e se aguentou assim até os 64 minutos de jogo - e mereceu a vitória por ter um maior volume de jogo e ter criado mais chances. Essa última parte da frase, bem como a virada, só foi possível por conta da inexplicável opção do time de Leonardo Semplici de sentar no empate e dar todas as ações para o Diavolo. Tanto que após o gol de Higuaín a SPAL resolveu atacar, recolocou o time de Gattuso contra a parede e deu trabalho ao arqueiro capetista aos 92 minutos.


Getty Images
Getty Images

Isso é lindo. Mas não é o suficiente


O resultado foi muito importante para o projeto, afinal, o rossonero retomou o 5º lugar na Serie A com 31 pontos, apenas 1 de diferença para a Lazio que ocupa a tão preciosa última vaga para a Liga dos Campeões. Isso sim, o resultado, nós podemos chamar de Ouro, bem como a progressiva retomada do crescimento de Donnarumma, já que o arqueiro foi decisivo nas duas últimas partidas com defesas difíceis e tão importantes quanto gols. De resto, pirita. Foram mais de 63 minutos que vimos o mesmo Milan de sempre, com dificuldades na criação, com um atacante que não finalizava bem nem conseguia acertar os passes curtos que dele se esperavam.


Após receber apoio de Leonardo e uma suave e elegante cobrança de Maldini - algo que só ele saberia fazer com tanto garbo - Gattuso e seus garotos vão com alguma tranquilidade para a sosta invernale após essa vitória e com o argumento que o objetivo final dessa primeira temporada de Elliott Management está a apenas 1 ponto de distância apesar dos pesares. O reconhecimento é devido, sem sombra de dúvidas, contudo, para esse velho ranheta aqui, só após a terceira ou quarta partida vencendo com gols de Higuaín e algumas assistências de Hakan, sem nem precisar jogar tão bem assim, esse time voltará a ser uma bela e preciosa pepita ouro.


- Curtinhas -


Pela Serie A, o Milan voltará a campo apenas no dia 21 de Janeiro, enquanto no dia 12 teremos a partida pela Coppa Italia contra a Sampdoria e no dia 16 a final da SuperCoppa contra a Juventus.


O atacante colombiano Luis Muriel pode ser a segunda contratação dessa janela de transferência. De acordo com a imprensa italiana, a fórmula de contratação será um empréstimo oneroso com opção de contratação definitiva ao final. Contudo, a Fiorentina teria igualado a oferta junto ao Sevilha e agora depende do jogador.


O árbitro Rosario Abisso teve uma atuação horrorosa, contudo, a expulsão de Suso não foi uma decisão incorreta. O espanhol vinha reclamando na orelha do assoprador de apitos constantemente apesar dos avisos, e por isso foi advertido na primeira vez. Após isso, uma entrada perigosa, embora não maldosa, rendeu ao espanho o justo cartão vermelho e, por isso, não poderá jogar na final da Supercoppa contra a Juventus.