Derrota para a Juventus deixa exatamente ZERO pessoas espantadas

Até que não demorou muito para a cabeça aceitar bem o que aconteceu na cidade de Jeddah que, aliás, eu achava que tinha sido destruída pelo Diretor Orson Krennic e sua Estrela da Morte. O jogo em um estádio para turista, o gol de Ronaldo, o frango de Donnarumma, a expulsão de Kessié e o pênalti criminosamente ignorado de Can sobre Conti são agora menos lembranças dolorosas e mais provas de algumas opiniões que já me passavam pela cabeça.


Vamos começar pelo assunto mais óbvio que é a venda da partida pela Lega Serie A como um produto a ser exposto para o público árabe e turitas, afastando a grande parte dos torcedores de fato. Veja bem, não estou dizendo que não havia torcedores presentes no estádio King Abdullah Sports, contudo, é fácil demais para qualquer um perceber que em jogo assim não há cantos de torcidas, não há bandeiras ou provocações. O que vimos foi basicamente uma multidão de turistas que pagou caro seu ingresso para ver Ronaldo fazer gols e levantar uma taça e, cá entre nós, em uma decisão da Juventus contra o Milan, isso nem sequer chega a ser uma aposta. Sem apoio e num calor de Rio de Janeiro, o jogo parecia um amistoso de pré-temporada.


Getty Images
Getty Images

Eles pagaram e viram


De resto, nada de novo no front rossonero. A partida foi mais uma do fenomenalmente mal ajustado time de Gattuso, que sofreu com a falta de jogadas, criatividade e sobrevivia na defensiva com cerca de 90% de competência e 10% de pura virgem-maria-nossa-senhora-nos-protegei-amém. Individualmente, contudo, alguns pontos positivos podem ser destacados como a desenvoltura de Paquetá que começou a arriscar dribles e jogadas de efeito contra a toda-poderosa vecchia signora, Cutrone também fez uma partida invejável para quem não tem um talento com a bola dominada, contudo fez o que pode entre Bonucci e Chiellini para abrir espaços para seus companheiros e, novamente, a demonstração de que Bakayoko merece ser contratado definitivamente após o empréstimo, já que é o único com alguma lucidez no meio campo. Enquanto isso, Hakan e Kessié seguem decepcionando, se tornaram sombras de si mesmo e todo o time sofre com isso.


Getty Images
Getty Images

O garoto começou a se soltar e isso é bom para o Milan


Reclamar da arbitragem em jogos contra a Juventus já é protocolo, então deixemos isso um pouco de lado.Só umpouco. É lógico que a decisão de Luca Banti em sequer recorrer ao VAR após a claríssima falta de Emre Can em Andrea Conti na área bianconera afetou diretamente no resultado, todavia era óbvio que a Juventus estava cozinhando o Milan em água morna para em algum momento acertar a pontada final. As substituições tardias e equivocadas de Gattuso deram mais uma ajuda, assim como a expulsão justa de Kessié que, veja que ironia, só ocorreu pois alguém avisou a Banti que TALVEZ o VAR fosse útil contra o Milan.


A Juventus ganhou, com ou sem ajuda da arbitragem é você que decida, e não existe um milanista na face do globo que não previu esse cenário, agora, é importante demais não deixar essa derrota atingir o time e atrapalhar os objetivos dessa temporada.


- Curtinhas - 


Gonzalo Higuaín, de acordo com a imprensa italiana, já está de malas prontas para se mandar para o Chelsea. Mais um caso de jogador que veio da Juventus, atualmente um time imensamente superior a todos da Serie A e fica insatisfeito.


Para seu lugar, tudo indica que o atacante polonês Krzysztof Piatek, atualmente no Genoa, deve chegar em uma transferência que deve movimentar 40 milhões de euros. O jogador já tem 13 gols em 19 partidas nessa Serie A, tem 24 anos e está dentro do perfil desejado por Ivan Gazidis.


Aliás, a vinda do Diretor sulafricano é apontada como um dos fatores da saída de Higuaín, já que o argentino não se enquadra exatamente em sua linha de contratação, de jogadores jovens com possibilidade de crescimento técnico a curto e médio prazo.